Posts Tagged ‘Diabetes Tipo 1’

11 COISAS QUE VOCÊ AINDA NÃO SABE SOBRE O DIABETE

22/11/2010

O DIABETE SE APROVEITA DA DESINFORMAÇÃO PARA SE ALASTRAR. MAS SAÚDE! QUEBRA O SILÊNCIO E REVELA AS ESTRATÉGIAS PARA NÃO DEIXÁ-LA TOMAR CONTA DA SUA VIDA

Saúde É Vital – por THEO RUPRECHT

“O canadense Frederick Banting (1891–1941), vencedor do Prêmio Nobel de Fisiologia ou Medicina de 1923 por ser um dos descobridores da insulina, nasceu em um 14 de novembro. Seu trabalho foi tão importante para quem sofre com altas doses de açúcar no sangue que hoje a data é reservada para o Dia Mundial do Diabete. Nela, lançam-se campanhas para informar a população sobre essa ameaça à saúde. No entanto, a julgar pelos dados recentes, muitos outros dias deveriam ser marcados no calendário para discutir o transtorno.

Ao redor do globo, 285 milhões de pessoas são diabéticas, sendo que 12 milhões delas estão no nosso país — 15% dos brasileiros padecem do problema. “E o pior é que apenas metade dessa gente sabe disso”, ressalta Carlos Eduardo Barra Couri, endocrinologista da Universidade de São Paulo, a USP, em Ribeirão Preto. Um dos motivos para esse desconhecimento tem a ver com o fato de o distúrbio geralmente ser silencioso. Ou seja, na maioria dos casos, seus estragos só serão sentidos…” (Leia e comente)

PÂNCREAS ARTIFICIAL É ESPERANÇA PARA QUEM SOFRE DE DIABETES

15/04/2010

APARELHO MANTÉM O NÍVEL DE GLICOSE NO SANGUE EQUILIBRADO. OS TESTES FORAM FEITOS NO CONTROLE DO DIABETES TIPO 1.

Veja essa reportagem no vídeo abaixo:

ESTUDO LIGA GRUPO DE CARBOIDRATOS A RISCO DE DOENÇAS CARDÍACAS EM MULHERES

14/04/2010

BBC Brasil

“Mulheres que consomem carboidratos com altos níveis glicêmicos, como pães, pizzas e arroz, podem até duplicar seu risco de doenças cardíacas. A conclusão é de um estudo com mais de 47 mil pessoas realizado na Itália.

O estudo, coordenado pela pesquisadora Sabina Sieri, da Fondazione IRCCS Instituto Nazionale dei Tumori, em Milão, analisou mais de 15 mil homens e 32 mil mulheres que tiveram sua dieta monitorada ao longo de quase oito anos.

Após esse período, 463 participantes haviam desenvolvido algum tipo de doença coronária.

Em um artigo na revista científica Archives of Internal Medicine, os pesquisadores disseram ter percebido que as mulheres que consumiram mais alimentos com alto índice glicêmico (25% da amostragem) haviam desenvolvido um risco de doenças equivalente ao dobro do risco de mulheres das 25% que consumiram carboidratos com baixo índice glicêmico, como massas.

No segundo grupo, os pesquisadores não observaram relação com o risco de doenças cardíacas…” (Leia e comente)

AÇÚCAR SAUDÁVEL

07/04/2010

BOM PARA OS DIABÉTICOS E POUCO CALÓRICO, O EXTRATO DE AGAVE ADOÇA TRÊS VEZES MAIS DO QUE O AÇÚCAR COMUM E PODE SER USADO EM DIVERSAS PREPARAÇÕES

Vida Natural – Paula Bueno

“Para aqueles que passam longe do consumo de açúcar refinado – como os diabéticos e obesos , uma boa notícia: com vocês, uma plantinha mexicana que promete dar uma mãozinha na alimentação. Estamos falando do agave azul (Agave Tequilana), um tipo de cacto com folhas comestíveis e, por que não dizer, poderosas.

É a partir delas que se produz um extrato com poder adoçante três vezes maior do que o açúcar comum. Dessa maneira, não é necessário usá-lo em grandes quantidades nas preparações. “Além disso, o extrato de agave é boa fonte de minerais, como ferro, cálcio, potássio e magnésio”, explica a nutricionista Flávia Morais, da rede Mundo Verde…” (Leia e comente)

‘PANCREAS ARTIFICIAL’ PODE REGULAR AÇÚCAR NO SANGUE DE CRIANÇAS DIABÉTICAS

09/02/2010

CIENTISTAS DA UNIVERSIDADE DE CAMBRIDGE, NA GRÃ-BRETANHA, MOSTRARAM QUE UM “PÂNCREAS ARTIFICIAL” PODE SER USADO PARA REGULAR OS NÍVEIS DE AÇÚCAR NO SANGUE DE CRIANÇAS QUE SOFREM DE DIABETES DO TIPO 1.

BBC Brasil

“A diabetes tipo 1 é uma doença crônica, que pode levar à morte do paciente, caracterizada por uma deficiência do pâncreas na produção de insulina, o hormônio que regula os níveis de açúcar no sangue.

Em um teste, os pesquisadores descobriram que a combinação de um sensor, que mede os níveis de glicose “em tempo real”, com uma espécie de bomba que fornece insulina ao paciente, pode melhorar durante a noite o controle do açúcar no sangue.

A pesquisa, publicada na revista científica Lancet, mostrou que o dispositivo diminui de forma significativa o risco de os níveis de açúcar no sangue caírem, colocando o paciente em risco de uma crise de hipoglicemia, uma grande preocupação para pacientes – crianças e adultos, com diabetes do tipo 1.

O sistema do pâncreas artificial combina um monitor contínuo da glicose com a bomba de insulina, ambos já disponíveis no mercado para venda separados, e usa um algoritmo sofisticado para calcular a quantidade necessária de insulina a ser fornecida,…” (Leia e comente)

ESTUDO ASSOCIA REFRIGERANTE AO CÂNCER DE PÂNCREAS

08/02/2010

PESSOAS QUE BEBEM REFRIGERANTE DUAS OU MAIS VEZES POR SEMANA TÊM MAIS CHANCES DE DESENVOLVER O CÂNCER DE PÂNCREAS, UMA DOENÇA RARA, MAS FATAL, AFIRMARAM
ESPECIALISTAS NESTA SEGUNDA-FEIRA.

Veja Online

“Segundo o estudo, realizado em Cingapura, os riscos de um paciente apreciador de sucos de frutas desenvolver a doença é muito menor se comparado ao índice registrado pelo grupo de pessoas que têm o costume de beber refrigerante frequentemente.

A pesquisa, que envolveu 60.000 pessoas, mostrou que o açúcar é o grande vilão. O estudo, liderado pelo especialista Mark Pereira, da Universidade de Minnesota, ressaltou ainda que quem costuma tomar refrigerante têm outros hábitos que prejudicam a saúde.

“Os altos níveis de açúcar que contém os refrigerantes aumentam a insulina no organismo e contribuem para o desenvolvimento de um câncer de pâncreas“, disse Pereira em uma declaração. A insulina, que ajuda o corpo a metabolizar o açúcar, é produzida pelo pâncreas…” (Leia e comente)

A HORA DA BIKE

18/01/2010

A PRÁTICA DE 30 MINUTOS DIÁRIOS AJUDA A COMBATER DOENÇAS CRÔNICAS COMO OBESIDADE, HIPERTENSÃO E DIABETES. DE QUEBRA, VOCÊ ESTARÁ INVESTINDO EM UMA ALTERNATIVA DE TRANSPORTE INTELIGENTE PARA FUGIR DOS CONGESTIONAMENTOS

VivaSaúde – Ivan Alves

“Aliar a prática esportiva à rotina das grandes cidades é uma tarefa árdua. Reunir energias para encarar exercícios antes ou depois de um dia de trabalho e de horas preso no trânsito é uma atitude louvável. A complicada rotina dos grandes centros faz que cada vez mais pessoas procurem alternativas para manter a saúde em alta. Adotar a bicicleta como meio de transporte aparece como uma saída de multibenefícios: faz bem ao corpo e à mente, poupa tempo, diverte e não polui o ambiente.

Segundo Páblius Staduto Braga da Silva, médico do esporte do Hospital 9 de Julho, pedalar com frequência combate a obesidade e a pressão alta. “O corpo submetido regularmente aos treinos recorre à gordura corporal como fonte energética, fazendo que os praticantes percam peso e aumentem a resistência”. O especialista aponta a atividade como uma aliada contra o diabetes. A doença se dá pela baixa produção de insulina no organismo, uma das substâncias responsáveis por metabolizar o açúcar para a corrente sanguínea e mantê-lo em níveis normais. O exercício, por sua vez, faz que o coração do praticante trabalhe melhor e ele precise de menos insulina; fator que também colabora para que o oxigênio chegue mais facilmente aos músculos,…” (Leia e comente)

DIABÉTICO NÃO SABE DIFERENCIAR DIET E LIGHT, DIZ PESQUISA DA USP

01/09/2009

dietFolha Online

“A maioria dos pacientes com diabetes tipo 2 não costuma ler o rótulo dos produtos light e diet que consome, não se preocupa com a quantidade ingerida nem conhece a importância de fazer um rodízio dos tipos de adoçante, revela uma pesquisa de mestrado realizada na Faculdade de Medicina da USP de Ribeirão Preto.

Esse procedimento é recomendado pela Organização Mundial da Saúde para evitar o acúmulo de uma única substância química no organismo…” (Leia mais)

CÉLULAS-TRONCO REVERTE DIABETES TIPO 1

13/05/2009

APLICAÇAO

Por: Gabriela Cupani

Um estudo brasileiro inédito revela que o pâncreas de diabéticos tipo 1 está voltando a funcionar após o transplante de células-tronco do próprio paciente, livrando-o da necessidade de insulina.

Os resultados da pesquisa, que acompanha 23 voluntários há mais de quatro anos, estão publicados no “Jama” (jornal da Associação Médica Americana).

Os autores constataram, pela primeira vez no mundo, que os níveis do peptídeo-C, uma espécie de marcador do funcionamento das células produtoras de insulina, aumentaram nos pacientes submetidos à terapia. (Leia mais)


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.