SAINDO DA LAMA

xama

“ADVOGADO QUE VIROU XAMÃ CRIA FÓRMULA
PARA CURAR VICIADOS EM CRACK E ÁLCOOL DE SÃO PAULO”

Trip – Arthur Guimarães / Foto João Wainer

“Éramos sete corpos, alguns nus, outros não, mergulhando como peixes canibais em um lago gelado no inverno. Submergidos num lodo no meio da mata atlântica paulista, enfiávamos com toda força uma lata velha no fundo do pântano para tirar de lá a lama para nosso ritual. Fora da água, ainda sob a orientação de nosso guru, começávamos a pisotear freneticamente o chão de terra úmido, entoando um grito indígena. Sujamos uns aos outros e deitamos no mato para um bronzeamento diferente. Nos solidificamos ao sol. Estátuas pregadas a um divã atemporal. O que a pele tinha de dura, a mente tinha de rápida. Próximo passo: ser chicoteado por hastes de espadas-de-são-jorge.

As cenas fazem parte de um ritual conduzido pelo advogado paulistano Walter de Lucca, 67 anos, que desde o começo da década de 90 leva a cabo um trabalho subversivo de recuperação dos moradores de rua e viciados em crack do centro de São Paulo. A ideia é promover a depuração do corpo usando a ayahuasca, bebida que é a essência da religião do daime. O advogado-xamã não segue as doutrinas da religião oficial – é um dissidente da Flor das Águas, uma das primeiras igrejas do chá em São Paulo. Seu trabalho, em muitos casos, funciona, libertando os usuários do vício. Trip participou de uma dessas sessões, no fim de agosto, em um sítio em São Roque, interior de São Paulo…” (Leia mais e comente a matéria)

Tags: , , , , , , , , ,

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: