AUTORITARISMO RESISTIU AO FIM DA DITADURA

FILÓSOFO REVELA COMO O REGIME MILITAR DEIXOU VESTÍGIOS NA SOCIEDADE BRASILEIRA E PERMITIU A PERMANÊNCIA
DE VELHOS DESMANDOS

História Viva Adriana Marcolini

“A ditadura militar no Brasil foi totalmente erradicada ou fincou raízes e ainda lança sua sombra sobre a vida nacional? A violência policial de hoje tem origem naquele período? Estas e outras perguntas são analisadas em “O que resta da ditadura” coletânea de ensaios organizada pelos pesquisadores e professores Edson Teles e Vladimir Safatle, recém-publicada pela Boitempo Editorial. O livro é fruto de um seminário realizado na Universidade de São Paulo (USP) em 2008. Além das contribuições próprias dos organizadores, reúne os textos dos demais participantes do encontro, como Glenda Mezarobba, Janaína de Almeida Teles e Flávia Piovesan, entre outros. Leia a seguir a entrevista com o doutor em filosofia política Edson Teles.

HV – Muitos afirmam que o Brasil não teve uma ditadura clássica depois do golpe de 1964, mas sim uma “ditadura branda”, em comparação à da Argentina e do Chile. Qual sua opinião?

Edson Teles: As ditaduras tiveram em comum a política de extermínio de opositores e de incremento da presença política e econômica das velhas oligarquias do latifúndio e da indústria, alimentando ainda o surgimento da oligarquia financeira. A diferença é que os militares brasileiros…” (Leia e comente)

Tags: , , , , , , , ,

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: