Archive for julho \29\UTC 2010

BRASILEIRO GANHA PRÊMIO CIENTÍFICO DE US$ 2,5 MILHÕES

29/07/2010

MIGUEL NICOLELIS, DA DUKE UNIVERSITY, RECEBEU PRÊMIO DO GOVERNO DOS EUA POR SUA PESQUISA DAS
INTERAÇÕES CÉREBRO-MÁQUINA

Último SegundoAgência Estado

“O neurocientista brasileiro Miguel Nicolelis foi um dos escolhidos este ano para receber o prêmio Pioneiro, um dos mais prestigiados dos Institutos Nacionais de Saúde dos Estados Unidos (NIH, na sigla em inglês). Criado em 2004, o Pioneer Award financia projetos considerados visionários e de alto risco nas áreas de biomedicina e comportamento.

Nicolelis, professor e pesquisador do Departamento de Neurobiologia da Universidade Duke, na Carolina do Norte, receberá US$ 2,5 milhões (R$ 4,4 milhões) ao longo de cinco anos para aprofundar suas pesquisas sobre o funcionamento do sistema nervoso e a interação cérebro-máquina. O objetivo do prêmio, segundo o NIH, é estimular inovações futuras e não premiar resultados do passado. “É para fazer coisas do futuro mesmo; não só ciência incremental”, disse Nicolelis.

Com vários trabalhos pioneiros publicados em revistas internacionais nos últimos anos, ele desenvolve sistemas que permitem controlar máquinas por meio de comandos cerebrais, usando eletrodos implantados no cérebro e conectados a um computador. O objetivo final é que pacientes vítimas de lesões ou doenças neuronais possam controlar robôs – ou qualquer outro aparato eletrônico – apenas com o cérebro. Um tetraplégico, por exemplo, poderia controlar um braço robótico…” (Leia e comente)

ACASO OU DESTINO?

29/07/2010

SURPREENDIDOS POR ACONTECIMENTOS ENIGMÁTICOS, QUESTIONAMOS SE A VIDA É UMA SUCESSÃO DE FATOS ALEATÓRIOS OU SE SOMOS MARIONETES NAS MÃOS DO DESTINO. CERTEZAS A ESSE RESPEITO NÃO EXISTEM. NO ENTANTO, O DEBATE NOS FAZ PENSAR SOBRE A IMPORTÂNCIA DE FAZERMOS BOAS ESCOLHAS.

Bons Fluídos – Raphaela de Campos Mello

“A vida é cheia de coincidências. Sonhamos com um conhecido e, no dia seguinte, o encontramos na fila do banco. Procuramos um novo emprego e, por incrível que pareça, descobrimos numa festa que o amigo do amigo precisa de uma funcionária com o nosso perfil. Há, ainda, alguns felizardos que, por se atrasarem dez minutos, perdem o embarque e se safam de um acidente aéreo fatal. Mistérios. Muitos mistérios. Poderia preencher as páginas desta reportagem apenas com exemplos desse tipo. No entanto, o objetivo aqui é investigar se as chamadas coincidências revelam a interferência do destino em nossa biografia ou se os eventos da vida, mesmo aqueles mais enigmáticos, são frutos do acaso e ponto final.

Segundo a filósofa e terapeuta existencial Dulce Critelli, coordenadora do Existentia – Centro de Orientação e Estudos da Condição Humana –, em São Paulo, essa discussão tem como pano de fundo uma temática…” (Leia e comente)

POR DENTRO DOS EMBUTIDOS

21/07/2010

CONHEÇA AS ORIGENS E OS SEGREDOS DAS DELÍCIAS QUE VOCÊ PODE PEDIR NA PADARIA DA ESQUINA PARA ACOMPANHAR JOGOS DE FUTEBOL OU PARA RECEBER OS AMIGOS À NOITE

Vip

“Tudo começou com a fome: na época em que carne era coisa rara (e não existia freezer), nada podia ser desperdiçado. Quando uma família matava um porco, a carne que não era comida no ato ia rechear salames e mortadelas que eram salgados e curados (ou defumados) para se conservar por meses a fio. Assim foram criados alguns dos alimentos mais deliciosos do mundo – e muito práticos, pois vão direto da loja para o seu pãozinho. A Itália é o paraíso da salumeria, nome que os nativos dão à arte de encher linguiça. Como a comunidade italiana é…” (Leia e comente)

O PODER DA INTUIÇÃO

21/07/2010

DESCUBRA COMO AQUELE PALPITE PODE SER ÚTIL NA HORA DE TOMAR UMA DECISÃO NA VIDA. APRENDA A UTILIZAR A INTUIÇÃO A SEU FAVOR — VOCÊ VAI SE SURPREENDER

Vida Simples – Rafael Tonon

“Pensamos, logo existimos. Desculpe- me, leitor, começar este texto assim, com um clichê já tão propagado da filosofia – e com a licença de ainda colocá-lo no plural, vá lá… Mas é difícil encontrar um argumento mais certeiro para definir a existência humana que nossa capacidade de pensar, não é mesmo? A verdade, entretanto, é que algo parece errado nesse raciocínio tão lógico. Errado, não. Talvez incompleto. Afinal, nós só nos tornamos efetivamente humanos na medida em que conseguimos combinar nossos pensamentos – e aí, vale incluir o que pensamos sobre os outros e o mundo ao nosso redor – com outras formas de conhecimento de que dispomos, como nossos sentimentos, nossas sensações e nossas intuições para percebermos o mundo que nos rodeia.

Às vezes, mesmo quando a razão tenta nos demover de uma ideia que parece logicamente infundada, nós vamos lá, damos a cara a bater. Teimamos e, vez por outra, ainda provamos que nossa própria razão estava redondamente enganada. Afinal, nossa consciência de mundo não dá conta de ser tão racional assim – ou de buscar racionalidade em tudo. Por isso, somos capazes…” (Leia e comente)

ADOLESCENTES: MAIS ALTOS, GORDOS E PREGUIÇOSOS

04/07/2010

ESSE É O RETRATO ATUAL DOS JOVENS BRASILEIROS.
COMO MELHORAR A SAÚDE DELES?

Saúde é Vital – Paula Desgualdo

“Em uma tarde de sexta-feira do mês de abril, 21 meninas chegam à Rua Botucatu, no bairro da Vila Clementino, em São Paulo. Mochila ou bolsa pendurada em apenas um dos ombros, elas ocupam quase todas as carteiras de uma pequena sala e enchem o espaço com vozes e risadas. Além da faixa de idade, que varia entre 13 e 16 anos, têm em comum uma meta, reproduzida quase como um mantra: comer a cada três horas, não repetir e não beliscar.

Ali, na casa número 715, fica o Centro de Atendimento e Apoio ao Adolescente da Universidade Federal de São Paulo. As garotas participam voluntariamente do Programa de Atividade para o Paciente Obeso, o Papo. O tema do encontro nesse dia: o tamanho das porções. A fatia de melão, ensina a nutricionista Simone Freire, não deve ser mais larga do que uma caixa de fósforos.

Quantidades descomedidas à mesa ajudam a engordar a prevalência de obesidade em crianças e jovens brasileiros, que hoje é de 9%. “Nos anos 1960, a porção de batata frita era um terço menor que hoje”, compara a hebiatra Ines Pardo, coordenadora do projeto Adolescente Saudável,…” (Leia e comente)