AIDS: O MAL DA DILUIÇÃO

DEPOIS DE VIRAR UMA DOENÇA CRÔNICA TRATÁVEL, A AIDS DEIXOU DE SER VISTA COMO UMA SENTENÇA DE MORTE. MUITOS JOVENS RELAXARAM AS PRECAUÇÕES CONTRA A CONTAMINAÇÃO PELO HIV. MAS O TRATAMENTO CAUSA DUROS EFEITOS
COLATERAIS, E OS PORTADORES DO VÍRUS
CONTINUAM A SER DISCRIMINADOS

Revista Planeta –  Milton Correia Júnior

“Desde que o uso combinado de medicações antirretrovirais foi utilizado com sucesso no tratamento da Aids, a partir de 1996, ela se transformou numa doença crônica controlada. Hoje, quem toma o coquetel tem a perspectiva de uma longa vida pela frente. Graças à evolução, a Aids deixou de ser motivo de grande preocupação especialmente entre os jovens, que tendem a minimizar as consequências de se tornarem soropositivos para o HIV. Muitos nem sempre usam preservativos durante o namoro, festas e baladas, e acabam se infectando.

O risco de banalização da doença acabou diluindo o medo da contaminação. Por não ser curável, mas tratável, a Aids vem sendo comparada a males como diabetes e hipertensão. Bastaria tomar os medicamentos e levar uma vida…” (Leia e comente)

Tags: , ,

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: