O MEDO DA MÚSICA

nner-a

Bravo

“NÓS SIMPLESMENTE TENTAMOS AO MÁXIMO ESCOLHER ARTISTAS E OBRAS QUE PENSAMOS SER RELEVANTES PARA O PENSAMENTO CRÍTICO CONTEMPORÂNEO.”

Mesmo que você seja curioso e aventureiro, consiga dar nó nos algoritmos, há ainda um complicador para abraçar uma música menos convencional: o medo do novo. O crítico inglês David Stubbs escreveu um livro todo, Fear of Music – Why People Get Rothko But Don’t Get Stockhausen, para explicar porque as pessoas entendem a arte contemporânea, mas não conseguem ultrapassar a barreira da música moderna. Um argumento em particular me parece muito interessante: o de que a música de vanguarda, com seus ruídos, dissonâncias e atonalismos, pode em certa medida se tornar uma tortura chinesa para ouvidos destreinados, justamente por que a audição é um de nossos sentidos mais sensíveis.

Desde o futurismo, a música se torna cada vez mais complexa, e isso leva à questão do que é o novo hoje…. Continue lendo

Tags: , ,

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: