Archive for the ‘Porta Curtas’ Category

O SOL ALARANJADO

06/08/2010

Uma visão poética do relacionamento entre pai e filha garantiu a esse curta simplesmente um prêmio em Cannes. (Veja o filme)

Anúncios

69 – PRAÇA DA LUZ

22/10/2009

prostitutas

Prostitutas de idade avançada ganham a vida na Praça da Luz, em São Paulo. Relatos inusitados e surpreendentes de cinco mulheres que revelam em detalhes suas experiências em todos esses anos de profissão. (Veja o filme)

SOM DA RUA – JOSÉ JOÃO

01/07/2009

som da rua

José João nasceu em 1956, em Kalumba (Angola), às margens do Rio Kwanza. Foi soldado, lutou na guerra e casou com duas mulheres. A primeira largou-o enquanto estava na guerra, em 1983, e voltou para a casa do pai. Teve dez filhos, mas apenas seis estavam vivos em 1988, vivendo com ele e sua segunda mulher. (Veja o filme)

O PARADOXO DA ESPERA DO ÔNIBUS

16/06/2009

o_paradoxo_da_espera_3-M

Homem espera em vão o ônibus. Em vão? Ora, se o ônibus está demorando, então ele está mais perto de chegar. (Veja o filme)

BOATO: UMA AUTODEFINITUDE

30/05/2009

BOATO-M

Uma viagem poética pelo Rio de Janeiro a bordo de um opalão. Sete poetas, seus ritos, seus mitos, suas musas e músicas, sua emersão e fabulação. (Veja o filme)

OLHO DE MOSCA

26/05/2009

olho_mosca-M

Documentário sobre poesia, na visão de 4 poetas contemporâneos: Arnaldo Antunes, Antonio Cícero, Carlito Azevedo e Paulo Henriques Britto. (Veja o filme)

ALMA CARIOCA – UM CHORO DE MENINO

25/05/2009

alma_carioca_2-M

ANIMAÇÃO: História de um menino que vive na zona portuária do Rio de Janeiro da década de 20 e testemunha o surgimento do Choro, quando encontra os grandes mestres pioneiros desse estilo puramente carioca. (Veja o filme)

LOTADO

22/05/2009

lotado_2O problema da superlotação nas penitenciárias do Rio de Janeiro, através de depoimentos de um ex-presidiário, dois ex-diretores do DESIPE, um agente penitenciário, um jornalista policial e mulheres de presos. (Veja o filme)

O XADREZ DAS CORES

20/05/2009

o_xadrez_das_cores-M

Cida (Zezeh Barbosa), uma mulher negra de quarenta anos, vai trabalhar para Maria (Mirian Pyres), uma velha de oitenta anos, viúva e sem filhos, que é extremamente racista. A relação entre as duas mulheres começa tumultuada, com Maria tripudiando em cima de Cida por ela ser negra. Cida atura a tudo em silêncio, por precisar do dinheiro, até que decide se vingar através de um jogo de xadrez. (Veja o filme)

BARBOSA

19/05/2009

Barbosa-3-MRapaz volta a 16 de julho de 1950 para tentar evitar a falha do goleiro Barbosa, que tirou a Copa do Mundo de Futebol do Brasil em plena inauguração do estádio do Maracanã. (Veja ao filme)