Posts Tagged ‘Autoconhecimento’

QUEM É VOCÊ? DESPERTE-SE PARA SUA VERDADEIRA NATUREZA

30/05/2010

DESCUBRA COMO O AUTOCONHECIMENTO PROFUNDO
CONTRIBUI NA AUTOCONFIANÇA

Vya Estelar – Patricia Gebrim

“A vida é surpreendente… vez ou outra, quando menos esperamos, nos presenteia com um de seus movimentos feitos da mais pura poesia.

Talvez nem todos se deem conta disso, eu sei. Muitos de nós somos diariamente tragados por uma correnteza interminável de obrigações e afazeres que acaba levando com ela o que temos de mais precioso, a nossa alma. Uma observação: quando digo “alma” não me refiro a nenhum conceito esotérico ou religioso. Quando digo “alma” me refiro àquela parte de nós que sabe que existe um sentido maior para essa nossa existência do que trabalhar, pagar contas, comer e contar os dias até que possamos viajar por alguns dias para um “resort” bacana durante as tão sonhadas férias.

É a “alma” em nós que nos permite seguir pela vida sem nos perdermos da inocência da criança que fomos um dia. É claro que é necessário que percamos um bom tanto da ingenuidade para viver em um mundo como o que vivemos. Mas a inocência… ah! a inocência!!!… essa nunca deveria ser deixada para trás!…” (Leia e comente)

Anúncios

QUEM É VOCÊ DE VERDADE?

06/03/2010

DENTRO DE CADA UMA DE NÓS EXISTE UMA SEMENTE ADORMECIDA QUE CARREGA NOSSA VERDADEIRA ESSÊNCIA. DESPERTÁ-LA É O CAMINHO MAIS SEGURO PARA SERMOS FELIZES E REALIZADAS EM TODOS OS ASPECTOS DA VIDA.

Bons Fluídos

“Eu não desenvolvo, sou.” A frase, dita pelo mestre da pintura Pablo Picasso, pode parecer um pouco pretensiosa à primeira vista. Mas, para o psicólogo americano James Hillman, reconhecido internacionalmente por suas pesquisas em psicologia analítica, corrente baseada nos estudos de Carl Gustav Jung, ela ilustra perfeitamente a ideia de que todas nós temos, em nosso interior, um gênio a ser despertado. Que fique claro: não estamos falando de uma super-heroína com capacidades extraordinárias, e sim de dons inatos que precisam ser identificados e desenvolvidos ao longo da vida para que encontremos nossa real vocação…” (Leia e comente)

VOCÊ PODE BRILHAR!

22/01/2010

A VIDA FLUI MELHOR QUANDO DERRAMAMOS SOBRE
ELA O NOSSO EU VERDADEIRO.

Vya Estelar – Patricia Gebrim

“Ora, cada um de nós é único e portador de características muito específicas que nos diferem das outras pessoas. Alguns de nós são sérios como a coruja e seus enormes óculos cheios de intelectualidade, outros são poderosos e exuberantes como o leão e existem também os que são leves e brincalhões, como os golfinhos que saltam em meio ao oceano por pura diversão; só para dar alguns exemplos

Essa particularidade, essa forma única de ser é o que nos confere autenticidade, verdade e brilho.

É assim que é possível afirmar que podemos admirar um conferencista que sobe ao palco para discorrer com erudição sobre um assunto complexo, tanto quanto admiramos outro alguém que sobe ao mesmo palco e fala sobre o mesmo assunto de forma leve e inusitada, transformando a complexidade das palavras em ideias que tocam corações. Ambos brilharam, cada um à sua maneira.

O erro que cometemos é o de tentar criar generalizações. Quando vemos alguém ser bem-sucedido, acabamos nos enganando e acreditando que a fórmula do sucesso está na forma…” (Leia e comente)

MORRER DE FOME PARA FICAR MAGRO

01/07/2009

emagrecer

BK Brasil – Jillian Sawer

“…Foram colocados trinta e seis voluntários em uma dieta de baixa caloria e os efeitos psicológicos e físicos foram documentados cuidadosamente. O grupo de controle era jovem e saudável, mostrando níveis altos de confiança, força, estabilidade emocional e boa habilidade intelectual. Eles começaram um período de seis meses no qual a ingestão de comida foi reduzida pela metade – uma típica técnica de redução de peso para mulheres.
Em pouco tempo o grupo começou a exibir sintomas clássicos de desordens alimentares: coleta de receitas, estocagem de comida, perturbação emocional, bebedeiras, vômitos e remorso. Alguns ficaram apavorados ao cogitarem sair fora do ambiente da experiência, por poderem ser tentados por comidas que eles tinham concordado em não comer. De forma interessante, todos os voluntários eram homens, e eles respondiam de maneira perfeitamente previsível e compreensível…” (Leia mais)

DOCE FAMÍLIA

30/06/2009

MEL

Bons Fluídos – Giuliana Capello

“Da cana-de-açúcar, do milho, da beterraba e do trabalho precioso das abelhas nasce o sabor mais desejado do mundo. Em comum, todos os tipos de açúcar têm o talento de tornar nossa vida mais gostosa. Mas a doçura guarda virtudes ou esconde riscos que merecem ser decifrados antes de eleger o seu predileto…” (Leia mais)

A AJUDA QUE VEM DA ESCOLA

29/06/2009

garoto

Isto É – Verônica Mambrini

“CADA VEZ MAIS CEDO, COLÉGIOS APOSTAM EM NOVAS TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO VOCACIONAL PARA AUXILIAR SEUS ALUNOS…”

“…Nos colégios, a escolha da profissão está entrando em pauta desde o começo do ensino médio. “O primeiro ano é um momento importante para parar e refletir”, afirma o coordenador pedagógico do Colégio Santo Américo, Miguel Augusto Arruda. Nessa série, o tema entra na grade semanal dos alunos, focado no autoconhecimento. A ideia é traçar um perfil das habilidades e personalidade do estudante,…” (Leia mais)

PESSOAS OCUPADAS APRENDEM A MEDITAR

25/06/2009

meditação 2

BK Brasil – BK Sister Jayanti

“Fico pensando o quão bem conheço a mim mesma. Às vezes, porém, quero saber por que me surpreendo com minhas próprias reações e respostas a certas situações. Gostaria de ter-me comportado um pouquinho diferente. É uma das indicações que me dizem que eu preciso me conhecer um pouco melhor. Em um mundo materialista, tudo carrega valores em termos de matéria. Freqüentemente, o valor que coloquei em mim mesma também foi associado a fatores externos, as posses que tenho, a propriedade que possuo, a posição e perfil que ocupo ou a posição que os outros me dão. Muito freqüentemente, vejo-me nesses compartimentos simplesmente da forma como os outros me vêem. O que vocês vêem quando olham para mim? Instantaneamente, o computador interno começa seus cálculos e nos conectamos um com o outro de acordo com nossa face, nossa cor, nossas peles, nossas feições, nossa idade, a profissão na qual trabalhamos e, ainda assim, quando começo a pensar nisso, questiono isso e me pergunto se os fatores externos me dizem qualquer coisa sobre mim ou sobre você. E começo a ficar consciente de coisas que, na verdade, não são, de qualquer forma, materiais, nada a ver com minha forma externa ou situações externas, e essas são as coisas que, na verdade, valorizo e aprecio…” (Leia mais)