Posts Tagged ‘Doenças’

MENINGITE E PERDA DE MEMÓRIA MARCARAM INFÂNCIA DE CANTOR DOS SEX PISTOLS

25/11/2010

JOHN LYDON, CANTOR DOS SEX PISTOLS E UM DOS PRINCIPAIS ÍCONES DO MOVIMENTO PUNK, CONTOU QUE, AOS OITO ANOS, ERA INCAPAZ DE RECONHECER OS PRÓPRIOS PAIS QUANDO ESTES FORAM BUSCÁ-LO EM UM HOSPITAL.

BBC Brasil – Ian Youngs

“Em entrevista exclusiva à BBC, Lydon revelou detalhes pouco conhecidos sobre sua infância, como quando, durante o período em que esteve se recuperando de uma meningite, esteve em coma e enfrentou períodos de grave perda de memória.

O cantor, hoje com 54 anos, contraiu meningite aos sete anos de idade e passou um ano de convalescência.

“Ali está você no hospital, sem entender nada ao seu redor”, descreve Lydon. “Sem saber seu nome, sem saber quem você é, sem saber que as pessoas na sua frente são seus pais”.

“Você não sabe por que está ali e, mesmo presumindo que pertence à alguém, se questiona: ‘será que eles estão mentindo’?. É um sentimento terrível”, diz o cantor, que, anos mais tarde, sob o nome de Johnny Rotten (“Joãozinho Podre”) formaria uma das bandas…” (Leia e comente)

Anúncios

VIDEOGAME COLETIVO GIGANTE SIMULA SITUAÇÕES DE EPIDEMIA

11/10/2009

vieo game gigante

“TABULEIRO GIGANTE QUE AGREGA ATÉ 50 PESSOAS
ESTREIA NO RIO DE JANEIRO NO PRÓXIMO DIA 20”

Galileu – Guilherme Rosa / Fotos: divulgação

“Um gigantesco videogame que simula desde um ataque bioterrorista a Nova York até o surto de dengue que o Rio de Janeiro sofreu em 2008. Essa é a principal atração da exposição Epidemik, que estreia no Rio de Janeiro no dia 20 de outubro, no Centro Cultural da Ação da Cidadania. Importado de uma exposição francesa, o videogame põe até 50 pessoas para interagir num tabuleiro de 300m², em jogos que imitam diversos cenários de epidemia.

“Simulamos situações de epidemias reais e ficcionais”, diz Gisele Catel, curadora-geral da exposição no Brasil. “Um dos temas apresentados é um ataque terrorista biológico a Nova York, com o vírus da peste bubônica“, diz. Os outros cenários são surtos de gripe aviária em Singapura, Malária na África e AIDS na Ásia. Sem contar a epidemia de dengue carioca, cenário especialmente desenvolvido para a versão brasileira da exposição.

“Assim que pisa no tabuleiro, cada jogador recebe uma aura que é projetada à sua volta” diz Gisele. Nessa aura, uma série de ícones mantém o jogador alerta sobre a situação de seu personagem. Informações como temperatura do corpo e estágio da doença são projetadas e ajudam o jogador…” (Leia mais e comente a matéria)

Veja o vídeo “Epidemik”. Sensacional! (LA)

AÇÚCAR É A DROGA DA VEZ?

30/09/2009

açucar

“NOS EUA, ESPECIALISTAS EM SAÚDE E NUTRIÇÃO COMEÇAM A TRATAR O AÇÚCAR COM O MESMO RIGOR QUE ISOLOU O TABACO DO CONVÍVIO SOCIAL – E O ALVO NÚMERO 1 É O REFRIGERANTE”

Veja Online – André Petry

“No dia em que o primeiro europeu colocou uma pitada de açúcar na boca, o mundo começou a girar mais rápido. A data precisa desse acontecimento não foi registrada pela história, mas se deu em algum momento da Idade Média. De lá para cá, na vertigem da descoberta do açúcar, a civilização ocidental passou a mudar num ritmo intenso. “O açúcar redesenhou o mapa demográfico, econômico, ambiental, político, cultural e moral do mundo”, diz a historiadora canadense Elizabeth Abbott, autora de um livro sobre a civilização do açúcar, Sugar, a Bittersweet History (Açúcar, uma História Agridoce). Em séculos de tragédia e glória, o açúcar transformou a alimentação do Ocidente, escravizou gerações de africanos nas Américas, foi combustível da Revolução Industrial, promoveu guerras e impérios, dizimou paraísos ecológicos, ergueu e pulverizou fortunas – e, nos trópicos, moldou a identidade brasileira. Movido pela sua energia calórica, o mundo segue girando rápido, tão rápido que estamos agora na soleira de outra mudança vertiginosa: o açúcar começa a ser considerado um vilão da saúde humana, um veneno tão prejudicial que merece ser tratado com o mesmo rigor empregado contra – suprema decadência! – o tabaco. Está mais perto o dia em que um pacote de açúcar trará a inscrição: “O Ministério da Saúde adverte: este produto é prejudicial à saúde”.

O açúcar, em suas várias formas, é o grande promotor da obesidade, mas seus níveis altos no sangue podem ser associados a quase todas as moléstias degenerativas, do ataque cardíaco ao derrame cerebral e ao diabetes. Existem suspeitas científicas sérias de que o açúcar possa até ser uma das causas de alguns tipos de câncer. Na lista, está o câncer de pâncreas, o mesmo que matou o ator Patrick Swayze aos 57 anos na semana passada. Em Harvard, pesquisadores acompanharam 89 000 mulheres e 50 000 homens e descobriram que os refrigerantes podem aumentar o risco de câncer de pâncreas em mulheres,…” (Leia mais e comente a matéria)

PESCOÇO TRAVADO, TENDINITE, OLHO SECO MALES DE COMPUTADOR

22/07/2009

computador

Planeta

“NÃO HÁ DÚVIDA: O USO PROLONGADO DO COMPUTADOR
PROVOCA DANOS À SAÚDE. É POSSÍVEL PREVENIR ESSES
PROBLEMAS, DESDE QUE UMA REGRA DE OURO SEJA
RESPEITADA: FAZER UMA PAUSA DE VEZ EM QUANDO…”

“Passar de 10 a 12 horas seguidas diante do computador faz parte do dia a dia de muitas pessoas, já que hoje usar essa máquina, tanto no trabalho quanto em casa, virou um hábito difícil de evitar. Segundo pesquisas, um estilo de vida desse tipo provoca dores de cabeça e de pescoço, e o aspecto mais inquietante é que eles podem atingir tanto os adultos quanto os jovens. Uma equipe de cientistas da Stellenbosch University, de Tygerberg, África do Sul, observou o que acontecia com um grupo de 1.073 estudantes com idade média de 16 anos, dos quais 48% frequentam escolas onde se usa regularmente o computador durante oito horas e meia por semana ou mais…” (Leia mais)

AQUECIMENTO GLOBAL E A SAÚDE DO HOMEM

26/05/2009

O National Geographic, faz um alerta para o efeito nocivo que as mudanças climáticas irão fazer a saúde da população mundial. Faça um comentário. (LA)

calor 1

“As alterações climáticas trarão impactos negativos, inclusive para a saúde humana. A previsão da OMS (Organização Mundial de Saúde) é de aumento de problemas respiratórios e cardiovasculares associados com a deterioração da qualidade do ar; aumento da incidência de doenças transmitidas pela água e alimento e o aumento do desconforto, e mortalidade associados às ondas de calor.” (Leia mais)