Posts Tagged ‘Entrevista’

MARY DEL PRIORE

29/07/2011

HISTORIADORA DEBATE BARBIE, ABORTO, EROTISMO E OS MITOS QUE A MULHER LEVA PARA A CAMA

Revista TPM – Nina Lemos

“A historiadora Mary Del Priore, 59 anos, odeia a boneca Barbie. Explica-se. Segundo ela, foi com a chegada da boneca da Mattel ao Brasil, nos anos 70, que a mulher brasileira começou a ficar obcecada em ser loira, magra, consumista. “A Barbie ensina as crianças a serem putas”, diz essa senhora distinta, autora de 29 livros, o mais recente deles, Histórias Íntimas, um panorama sobre o erotismo e a intimidade no Brasil.

Mary é uma especialista em história brasileira com todas as credenciais de intelectual de sucesso. Foi professora na USP e fez doutorado na França. Mas ela gosta mesmo é de contar histórias, seja em romances ou em livros como Corpo a Corpo com a Mulher ou História do Amor no Brasil, ambos com mais de 40 mil exemplares vendidos. Sim, Mary é uma escritora de best-seller (o seu mais recente livro ocupava até o fechamento da edição o primeiro lugar na lista dos mais vendidos…” (Leia e comente)

Anúncios

MESTRA DA SUSTENTABILIDADE

24/11/2010

DEPOIS DE PRATICAR O CONSUMO CONSCIENTE E PREFERIR UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL, QUAIS SERIAM OS PASSOS EM
DIREÇÃO A UMA VIDA MAIS EQUILIBRADA?

Vida Simples – Liane Alves / Foto: Paulo Freitas

“Simone Ramounoulou é uma daquelas profissionais cujo currículo já dá a estatura de sua atuação como instrutora de temas relativos ao meio ambiente e ao desenvolvimento da consciência como um todo. Consultora em vários projetos internacionais, é diretora-executiva no Brasil da World Business Academy, que congrega empresários e executivos do mundo todo, do Institute of Noetic Sciences, mais centrado nas possibilidades da mente e da consciência, do Clube de Budapeste e dos Encontros da Rede Global de Educação para a Paz – Construindo uma Cultura Planetária, um programa feito em parceria com a Unesco.

Brasileira, simpática e firme em suas posições, Simone é filha de pai francês e mãe italiana. Estudou em Genebra na primeira escola de cultura global ligada à ONU e seu trabalho hoje é justamente ministrar cursos e implantar programas na área de educação e conscientização da realidade ambiental do planeta. Seu trabalho é desenvolvido na William Harmann House do Brasil, que fica no Espaço Antakarana, em São Paulo, do qual ela é uma das cofundadoras. Atualmente, ela é também coordenadora-geral do programa sueco The Natural Step (O Passo Natural),…” (Leia e comente)

MARIA DE NAZARÉ CORRÊA DA SILVA CONTA COMO ESTÁ ERRADICANDO O ANALFABETISMO NO AMAZONAS

28/10/2010

CONFIRA NA ENTREVISTA COM A PROFESSORA DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO AMAZONAS (UEA) DE QUE MANEIRA A FORMAÇÃO DE PROFESSORES E O COMBATE À EVASÃO TÊM ELEVADO O NÚMERO DE ADULTOS ALFABETIZADOS NO ESTADO

Nova Escola – Paola Gentile

Maria de Nazaré

“Em 2003, 60% dos habitantes do município de Itamarati, distante de Manaus 985 quilômetros por ar e 1.930 por vários rios da região, não sabiam ler nem escrever. Sete anos depois, a cidade recebe o título de Município Livre do Analfabetismo, conferido pelo Ministério da Educação aos que têm menos de 4% de analfabetos. Itamarati, assim como as outras 61 cidades do estado do Amazonas, aderiu ao Programa de Letramento Reescrevendo o Futuro, da Universidade Estadual do Amazonas (UEA), em parceria com a Secretaria do Estado de Educação do Amazonas.

Idealizado e coordenado por Maria de Nazaré Corrêa da Silva, professora da UEA, o Reescrevendo deve encerrar seus trabalhos no início do próximo ano. Até agora, além dos 23 municípios que registram 96% da população alfabetizada, outros 18 já diminuíram essa taxa em 50% e o restante está no caminho. Ao custo de 8 milhões de reais por ano, dividido entre os governos federal, estadual, municipais e a universidade, o programa de letramento ainda está presente em 39 cidades, onde se formarão as últimas turmas. “Os bons resultados se devem à formação de professores para trabalhar com esse público e a ações para combater a evasão”,…” (Leia e comente)

DESTINO: LITERATURA

05/04/2010

Portal dos Voluntários – Lucila Rupp

“Estradas de terra em campos minados, longas viagens em uma frágil canoa, noites sem luz, dias e dias em lugares isolados. Para promover o livro e a literatura, o mato-grossense Maurício Corrêa Leite sempre enfrentou desafios assim. Aos 54 anos, esse educador errante já passou por maus bocados. Ano passado, por exemplo, pegou malária em Angola. Mas nada disso o impede de seguir sua trajetória. Ao contrário. Como ele conta ao A&P, em entrevista concedida por telefone de sua casa em Cascais, Portugal, os desafios o impulsionam sempre mais.

A&P – Qual foi seu percurso para chegar à área de promoção da literatura?
Maurício Corrêa Leite –
Sou formado em teatro e andava com uma dessas malas que têm boneco, fantoche, maquiagem e fantasia. Como tinha sido professor e sempre trabalhei com movimentos ligados a causas sociais e à educação de minorias, qualquer dinheirinho que conseguia era para comprar livro. Um dia, olhei para minha mala e pensei: isso aqui dá uma bela biblioteca. Empurro a parte de teatro para cá, ponho os livros aqui e pronto! Criei essas bibliotecas itinerantes por uma necessidade, por um desespero: queria saber como uma quantidade menor de livros poderia atingir uma quantidade maior de crianças, num tempo menor e com um custo mais baixo…” (Leia e comente)

“O PODER REVELA QUEM SOMOS”

06/03/2010

UM PESQUISADOR AMERICANO DIZ COMO O PODER NOS TORNA MAIS CORRUPTOS, MESQUINHOS E HIPÓCRITAS

Época – Isabel Clemente

Adam Galinsky

“Dizer que o poder corrompe é um antigo chavão. A novidade é que esse velho axioma acaba de ser comprovado cientificamente em um trabalho de pesquisadores da Kellogg School of Management, nos Estados Unidos. Após uma série de testes comportamentais com voluntários, eles demonstraram como o poder costuma, em geral, mudar as pessoas para pior. Em testes, os poderosos não só trapaceavam mais, como se mostravam mais hipócritas ao se desculpar por atitudes que condenavam nos outros. “Os poderosos acreditam que devem ser excluídos de certas regras”, afirma o psicólogo social Adam Galinsky, professor de ética e decisões em gerência da Kellogg School of Management e um dos autores do estudo…” (Leia e comente)

A HISTÓRIA COMESTÍVEL DA HUMANIDADE

02/12/2009

“NO LIVRO DO JORNALISTA INGLÊS, QUEM DETERMINA OS RUMOS DA CIVILIZAÇÃO MODERNA SÃO OS ALIMENTOS”

Época – Marcela Buscato

“O jornalista Tom Standage, editor de negócios da revista inglesa The Economist, uma das mais influentes do mundo, diz ter o hábito de escrever seus artigos com o auxílio de duas invenções que mudaram a humanidade. Uma é seu computador moderno. A outra, menos óbvia, é o chá – uma bebida milenar do Oriente que deu energia aos operários ingleses durante a Revolução Industrial, no século XVIII. “Os alimentos são como uma janela para o passado”, afirma. Em seu novo livro, An edible history of humanity (Uma história comestível da humanidade, sem edição no Brasil), ele usa a comida para contar a história da sociedade. Sua tese: os alimentos determinaram a civilização moderna. “Eu vejo o dedo da comida na aparência do mundo hoje.” (Leia e comente)

‘NÃO SE PODE ACEITAR A REALIDADE’

08/11/2009

rai

“JOGAR JUNTO MUDA O MUNDO”. O SLOGAN DA ONG ATLETAS PELA CIDADANIA ESTAMPARÁ UM SELO A SER LANÇADO SIMULTANEAMENTE NO BRASIL E NA EUROPA EM MARÇO DE 2010, EM PARCERIA COM A ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS (ONU).

CartaCapital – Ana Luísa Vieira e Daniel Pinheiro

“O apoio da ONU à associação decorre da criação de um fundo patrimonial, que tem como objetivo patrocinar as ações da ONG. Presidida pelo ex-jogador de futebol Raí Souza Vieira de Oliveira, a Atletas pela Cidadania conta hoje com 35 esportistas de diferentes modalidades, dispostos a defender os direitos dos jovens. Os resultados começam a aparecer. Um deles, o aumento da fiscalização sobre a Lei do Aprendiz, que determina que empresas de médio e grande porte devem reservar entre 5% e 15% de suas vagas a aprendizes.

Graças à atuação conjunta com o Ministério do Trabalho, o número de postos oferecidos para trabalhadores de 14 a 24 anos passou, em menos de um ano, de 56 mil para aproximadamente 160 mil contratados. Com base nos Fóruns realizados pela ONG, o Ceará, por exemplo, registrou crescimento de 65% na quantidade de jovens empregados. “Puxamos uma legislação que estava parada. O governo assumiu como meta criar 800 mil vagas até o final de 2010. É o máximo que uma instituição de lobby pode conseguir”, afirma Raí.

Nesta entrevista concedida a CartaCapital, um dos grandes ídolos do futebol brasileiro esmiuça o trabalho cidadão, explica por que se recusa a adentrar a política partidária e cobra atenção com eventuais gastos exacerbados nos Jogos Olímpicos de 2016. “Acredito na oportunidade, mas é preciso que a sociedade fiscalize e que haja transparência”, diz o ex-jogador. “Não temos uma política nacional de esporte. Se já era necessidade, agora virou obrigação.”…” (Leia e comente)

“FAREMOS SEXO COM ROBÔS EM TRÊS ANOS”

02/11/2009

love machine

“O ESPECIALISTA EM INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL DAVID LEVY DIZ QUE AS MÁQUINAS EXISTEM PARA DAR CONFORTO
E BEM-ESTAR AO HOMEM”

Isto É – Hélio Gomes

“O ex-enxadrista escocês David Levy, 64 anos, é um dos maiores especialistas do mundo em inteligência artificial. Ele acaba de ganhar, pela segunda vez, o prêmio Loebner, considerado o Oscar da robótica na categoria melhor “chatbot” – contração em inglês de “robô” e “conversa”. É justamente isso que faz a máquina que ele criou, a “Do-much-more” (Faz muito mais). O trabalho pode ser decisivo para o progresso da relação entre humanos e esses seres artificiais de alta tecnologia. A seguir, o cientista antevê o futuro dessa intensa – e surpreendente – parceria.

ISTOÉ – Como o sr. começou a estudar a inteligência artificial (IA)?
David Levy – Quando me formei, em 1967, era considerado um jogador de xadrez de talento. Além disso, já trabalhava no Departamento de Ciências da Computação da Universidade de Glasgow (Escócia). Esse casamento levou aos jogos de xadrez contra máquinas, algo totalmente relacionado à IA…” (Leia mais e comente a matéria)

COMO CRIAR SUA MARCA NA INTERNET

13/10/2009

voce web

“AUTOR DO LIVRO ‘EU 2.0’, O ESPECIALISTA EM MARKETING PESSOAL DAN SCHAWBEL DÁ DICAS PARA MELHORAR
SUA IMAGEM EM REDES SOCIAIS”

Época – Danilo Venticinque

“Na internet, qualquer pessoa pode virar uma grande marca. Partindo dessa máxima, e usando algum conhecimento sobre redes sociais, o americano Dan Schawbel se tornou um dos mais jovens especialistas em marketing pessoal na internet. Sua história é um caso bem-sucedido de suas teorias: aos 25 anos, ainda com feições de adolescente, trabalha como consultor para empresas multinacionais e tornou-se referência sobre o assunto para revistas de negócios tradicionais, como a Forbes e a BusinessWeek tudo isso graças a muitos contatos em sites de relacionamentos e a um blog com dicas de carreira. Os posts, que no início eram um passatempo, deram origem ao livro Me 2.0 (“Eu 2.0”, sem previsão de lançamento no Brasil). Em entrevista a ÉPOCA, Schawbel explica a importância de criar uma marca pessoal sólida e dá dicas para usar a internet a seu favor na vida profissional.

ÉPOCA – O que você chama de “marca pessoal”?
Dan Schawbel
– Marca pessoal é o modo como vendemos nossa imagem para os outros. Criar a sua marca na internet é controlar a maneira como você é visto online e se tornar conhecido pelas suas paixões e especialidades. O termo “marca pessoal” surgiu em 1997, mas é mais relevante hoje por causa da competitividade do mercado e da explosão das redes sociais. Tanto uma multinacional com uma marca famosa quanto uma pessoa comum podem ter perfis no Facebook, Twitter, etc. Com isso, ficou óbvia a ideia de que qualquer pessoa pode virar uma marca,…” (Leia mais e comente a matéria)

“A INTERNET PÔS O CONSUMIDOR NO COMANDO”

24/08/2009

helio mattar

Isto É Dinheiro – Rosenildo Gomes Ferreira

“Mestre e doutor em engenharia industrial pela Universidade de Stanford, Helio Mattar, 61 anos, comandou grandes corporações como a GE-Dako. No início da década, ele deixou a carreira executiva para se dedicar ao terceiro setor.

À frente do Instituto Akatu, que no idioma tupi-guarani significa mundo melhor, Mattar se tornou referência no debate sobre consumo sustentável. “As empresas que quiserem sobreviver terão de adotar uma postura transparente e valorizar a responsabilidade socioambiental”, avalia.

Nesta entrevista à DINHEIRO ele também critica a miopia do governo na questão da destinação de resíduos e defende a concessão…” (Leia mais)