Posts Tagged ‘Filhos’

COMO O SEU FILHO VÊ VOCÊ?

25/11/2010

NOVAS PESQUISAS MAPEARAM QUATRO ESTILOS DE SER MÃE OU PAI E TRAZEM UM ALERTA: A MAIORIA ESTÁ DERRAPANDO FEIO NA HORA DE PÔR LIMITES, OUVIR E ATÉ OFERECER OS CUIDADOS BÁSICOS. LEIA, REFLITA E, SE FOR O CASO, COMECE HOJE MESMO UM PLANO DE MUDANÇAS. PODE SER A CHAVE PARA EDUCAR CRIANÇAS PREPARADAS PARA O FUTURO

Claudia – Rita Trevisan

“Pai e mãe desejam o melhor para seus filhos, mas o fato é que a forma como foram criados e a situação emocional do casal influenciam, nem sempre para o bem, o tipo de educação que conseguem oferecer aos pequenos. A frequência das brigas entre os adultos, por exemplo, é capaz de criar um clima pouco propício ao diálogo. E, no pacote, alguns valores negativos podem ser passados adiante. Não à toa, a questão, considerada fundamental para a formação dos jovens, tem despertado um interesse cada vez maior entre estudiosos do mundo todo. No Brasil, a psicóloga Lidia Weber, coordenadora do Núcleo de Análise e Comportamento da Universidade Federal do Paraná, há cinco anos desenvolve estudos sobre as diferentes maneiras de exercer a paternidade. Das enquetes, brotaram quatro principais perfis de pais: participativo, autoritário, permissivo e negligente. Em pesquisas feitas com mais de 10 mil estudantes de 8 a 17 anos no Sul desde 2005, Lidia descobriu que, na visão deles, ao menos 35% dos pais são presentes e dão limites, mas outros 35% são omissos. “São dados alarmantes, que mostram quanto andamos derrapando”, diz. A boa notícia é que há como se aprimorar…” (Leia e comente)

Anúncios

A AUTO-ESTIMA DE NOSSOS FILHOS

16/04/2010

Stephen Kanitz

“Uma semana depois de minha esposa e eu decidirmos começar uma família, entramos numa livraria e compramos dois livros sobre como educar filhos. Por uma série de razões os dois filhos só nasceram seis anos depois e acabamos lendo não dois, mas 36 livros. Se dependesse de teoria, estávamos preparados. Hoje eles estão crescidos e um amigo me perguntou que livros nós havíamos utilizado mais. Foi uma boa pergunta que demorei a responder. Usamos um livro só, um que educava mais os pais do que os filhos. Intitula-se ‘A Auto-estima do seu filho’ de Dorothy Briggs, e o título já diz tudo.

A tese do livro é como agir para nunca reduzir a auto-estima do seu filho: elogiá-lo freqüentemente , ouvir sempre suas pequenas conquistas, festejar as suas pequenas vitórias, nunca mentir ou exagerar neste intento, em suma mostrar a seus filhos seu verdadeiro valor. Ao contrário do que defendem os demais livros, não é uma boa educação, nem disciplina, nem muito amor e carinho, ou uma família bem estruturada que determinam o sucesso de nossos filhos, embora tudo isto ajude.

A sacada mais importante do livro, no nosso entender, foi a constatação que filhos já nascem com uma elevada auto-estima, e que são os pais que irão sistematicamente arruiná-la com frases como: ‘Seu imbecil!’,…” (Leia e comente)

PAIS TÓXICOS

07/03/2010

LIVRO DE JUÍZA INGLESA HUMILHADA DESDE A INFÂNCIA PELA MÃE JOGA LUZ SOBRE PAIS QUE AGRIDEM FÍSICA E PSICOLOGICAMENTE OS FILHOS. AS SEQUELAS DOS MAUS-TRATOS PODEM SER IRREVERSÍVEIS

Isto É – Suzane G. Frutuoso

“Em 1966, a inglesa Constance Briscoe, então com 9 anos, chegou da escola exultante carregando um envelope marrom, que se apressou a entregar para a mãe, Carmem. Dentro dele, fotos que a menina havia tirado na escola. Ao olhar as imagens, Carmem repetia: “Jesus amado, eu que pus isso no mundo? Deus, como ela pode ser tão feia? Feia, feia… Você quer que eu compre essas fotos?”, perguntava à filha. Foi apenas uma das milhares de humilhações que a criança sofreu na infância. Ofensas como “vagabunda safada” foram constantes. Ela também era espancada por fazer xixi na cama, uma enurese que se manifestava justamente por causa do medo da violência materna. Socos na cabeça e no peito eram desferidos contra Constance e seus mamilos eram beliscados com força, sempre por motivos banais (ou sem motivo). A ponto de, aos 11 anos, ela tentar o suicídio bebendo água sanitária. Esse retrato de terror está no livro “Feia – A História Real de uma Infância sem Amor” (Ed. Bertrand), escrito por Constance, hoje uma renomada juíza. A obra, que já vendeu meio milhão de cópias em dezenas de países e tem tradução brasileira, é um exemplo de como aqueles que deveriam amar acima de tudo podem ser os algozes dos próprios filhos…” (Leia e comente)

MARIDO, MULHER E…UM BEBÊ NO MEIO

11/09/2009

mulher pai e filho

ANTES DA CHEGADA DO SEU PRIMEIRO FILHO O CASAMENTO ERA, DIGAMOS, DIFERENTE? TRÊS MÃES SE REUNIRAM PARA ESCREVER UM LIVRO QUE FALE EXATAMENTE PARA VOCÊS. E O PLURAL AQUI É LITERAL: CASAMENTO À PROVA DE BEBÊS FALA DIRETAMENTE ORA COM A MULHER, ORA COM O HOMEM SOBRE COMO MANTER A CHAMA ACESA E FORMAR UMA FAMÍLIA BEM FELIZ

Crescer – Cristiane Rogerio

Somos três mulheres loucas por nossos filhos. Também amamos nossos maridos e eles sentem o mesmo por nós. Então, por que passamos a brigar tanto depois que os bebês nasceram? Por que ficamos tão irritadas quando eles não conseguem encontrar as chupetas? Por que eles ficam tão chateados com o fato de nosso entusiasmo por sexo ser igual ao nosso entusiasmo por passar roupa? É com essa mistura de tom que vai do humor à lamentação que as amigas e mães Stacie Cockrell, Cathy O’Neill e Julia Stone resolveram dividir com o mundo suas angústias e soluções que encontraram não só na busca por manter um casamentos feliz depois dos filhos – mas também em conversas com centenas de pessoas (há depoimentos e-lu-ci-da-ti-vos espalhados pelo livro). Em Casamento à Prova de Bebês, que a Editora Sextantel…” (Leia mais e comente a matéria)