Posts Tagged ‘História’

7 LIVROS QUE FERRARAM A HUMANIDADE (OU QUASE)

27/08/2010

“L’uomo delinqüente” (O homem delinquente), Cesare Lombroso, 1876

Super Interessante – Ana Carolina Prado

“Teóricos equivocados podem causar grandes prejuízos. Já tivemos livros que incentivavam a matança de mulheres consideradas bruxas, defendiam a inferioridade de certas nacionalidades, diziam que as mulheres eram menos inteligentes que os homens. Com a ajuda de historiadores, listamos 7 livros que, por causa de teorias equivocadas, inspiraram pessoas a cometer atos e sustentar ideias desastrosas.

Os livros não estão em nenhuma ordem particular e, é claro, foi impossível listar todos eles. Comente e diga quais você acha que faltaram…” (Leia e comente)

Anúncios

SEMANA DOS LIVROS

29/03/2010

PROJETO DISPONIBILIZA GRATUITAMENTE OBRAS DE COLEÇÃO HISTÓRICA SOBRE A ECONOMIA, A POLÍTICA
E A NATUREZA DO BRASIL

Ciência Hoje On-line – Sofia Moutinho

“Semana de novidades de leitura na rede. Noticiamos que a Editora Unesp disponibilizou dezenas de livros para baixar de modo gratuito. Falamos também da USP e de seu selo editorial Brasiliana: a universidade pôs no ar o conteúdo de periódicos históricos, todos digitalizados e, também, a preço zero.

Agora, descobrimos uma ação homônima da iniciativa da editora da USP. Uma boa notícia para quem se interessa por livros raros e pela história do Brasil. Está disponível on-line a Coleção Brasiliana, que reúne obras de autores brasileiros e estrangeiros que retrataram o país nos campos da história, sociologia, economia, antropologia e história natural, da época colonial à década de 1990…” (Leia e comente)

HISTÓRIAS CONTADAS E CANTADAS

28/01/2010

ADYEL SILVA, ALAÍDE COSTA, ARÍCIA MESS, ÁUREA MARTINS, ELIANA PITTMAN, GRAÇA CUNHA, IVETE SOUZA, IZZI GORDON, LEILA MARIA, MISTY, ROSA MARYA COLIN, VIRGÍNIA ROSA, ZEZÉ MOTTA… POR MEIO DOS DEPOIMENTOS DESSAS 13 CANTORAS , JORNALISTA REVELA O UNIVERSO MUSICAL DE MULHERES QUE QUISERAM
SEGUIR CAMINHOS ALÉM DO ÓBVIO

Raça Brasil – Amilton Pinheiro / fotos Divulgação

“O livro Solistas Dissonantes: História (oral) de cantoras negras (Editora Letra e Voz), fruto de uma dissertação do curso de História da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da Universidade de São Paulo (USP), desenvolvida por Ricardo Santhiago entre 2006 e 2009, traz depoimentos de cantoras negras brasileiras da segunda metade do século XX, que falam sobre suas vidas e como conduziram suas carreiras. Impressionante é que o autor conseguiu extrair desses relatos não só fragmentos contundentes e humanos da vida de mulheres com vozes poderosas, mas, principalmente, uma constatação: que as opções artísticas dessas cantoras negras impuseram e elas uma mobilidade e visibilidade menores na música brasileira e na sociedade. “Não foram ingênuas; foram conscientes. Não lamentaram, apenas se movimentaram”, conta Ricardo Santhiago.

Você observou que as cantoras negras entrevistadas sofriam três tipos de preconceito da indústria fonográfica: por ser mulher, por ser negra e por cantarem gêneros não usuais para as suas condições étnicas. Sofreram com a falta de visibilidade por insistirem em seus repertórios. Quais os outros preços que elas tiveram de pagar?
O primeiro deles diz respeito à própria mobilidade de que elas dispõem no cenário cultural brasileiro. Claro que todas são artistas consagradas e respeitadas, mas o caminho até aí foi (e ainda é) cheio de pedras. O segundo preço se coloca de forma mais sutil e, por conseguinte, mais perniciosa: suspeito que estas cantoras tenham tido mais dificuldade de inscrever suas reivindicações…” (Leia e comente)

UM CATÁLOGO DA VIOLÊNCIA NO SÉCULO XX

26/11/2009

“SITE ORGANIZADO POR CIENTISTA POLÍTICO FRANCÊS ABRIGA BANCO DE DADOS SOBRE OS GRANDES MASSACRES
DOS ÚLTIMOS CEM ANOS”

História Viva – Bruno Fiuza

“O francês Jacques Sémelin, professor do Instituto de Estudos Políticos de Paris, passou os últimos 20 anos pesquisando a história dos grandes massacres do século XX. Em 2007, essa extensa investigação deu origem ao livro Purificar e destruir – Usos políticos dos massacres e dos genocídios, um estudo comparativo da violência em massa durante o Holocausto, em Ruanda e na Bósnia que foi publicado este ano no Brasil pela editora Difel. Sémelin, no entanto, não se contentou em transformar seu estudo em livro, e agora trabalha em um projeto inédito: a organização de uma enciclopédia virtual da violência em massa no século XX.

Depois de quatro anos de gestação, o site do projeto foi lançado no ano passado. Reunindo material produzido por pesquisadores renomados, a Enciclopédia online da violência em massa pretende oferecer gratuitamente a qualquer usuário da internet um extenso banco de dados com informações sobre genocídios e massacres perpetrados no planeta ao longo do mais violento século da história. O site reúne biografias dos responsáveis…” (Leia e comente)

COM OS PÉS NA TERRA E OS OLHOS NO CÉU

27/10/2009

livro galileu

“LIVRO TRAZ PANORAMA DO LEGADO DO CIENTISTA
ITALIANO GALILEU GALILEI PARA A ASTRONOMIA”

Ciência Hoje On-line – Raquel Oliveira

“Há 400 anos, o astrônomo e filósofo Galileu Galilei (1564-1642) apresentava ao mundo algo inovador para a época: uma versão melhorada da luneta, que permitiu a observação de objetos celestes com uma nitidez nunca antes obtida. Essa e outras contribuições do cientista italiano para a astronomia são relatadas em As descobertas astronômicas de Galileu Galilei.

Escrita pelo especialista em história da ciência Antonio Augusto Passos Videira, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), a obra faz parte da coleção Ciência fácil para todos, da editora Vieira & Lent. Como o próprio nome sugere, a meta é explicar ciência em linguagem acessível e sem rodeios. E, ao menos em As descobertas astronômicas de Galileu Galilei, a missão é cumprida.

O livro tem como características a simplicidade e a concisão. Para o público mais ávido, a leitura acaba em uma tarde. Videira procura ser didático nas explicações. Não é necessário ter conhecimento prévio sobre o assunto para entender a importância dos estudos de Galileu para a construção da visão que temos hoje do mundo e do universo…” (Leia mais e comente a matéria)

O REI GALANTEADOR QUE ADORAVA CRÊPES

25/06/2009

rei eduardo VII

Paladar – Dias Lopes

“…Eduardo VII (1841-1910) divertiu-se à vontade. Da juventude à maturidade, passou temporadas na França, país que admirava, sobretudo em Paris, frequentando restaurantes, teatros, hipódromos e consolidando a fama de playboy desaprovada pela mãe, a severa rainha Vitória I. Bastante popular no seu país e exterior, ainda se notabilizou pelo mecenato e paixão pelas viagens. Tornou-se um dos personagens da Belle Époque,…”

crepe suzette

“… no Le Café de Paris, em Monte Carlo, atendendo ao pedido do então príncipe de Gales – e o molho pegou fogo acidentalmente. Sem perder a compostura, teria dobrado duas vezes as crêpes e as servido assim ao cliente, que aprovou o resultado. “Como se chama o que me deu?”, indagou o príncipe de Gales. “Foi um doce inventado agora”,… (Leia mais)

Dica Notícias do bem – Receita de Crêpes Suzette