Posts Tagged ‘Paladar’

APOSTE NO VAPOR

11/04/2011

EXPERIMENTE UMA MANEIRA MAIS SAUDÁVEL DE PREPARAR OS ALIMENTOS E REDESCUBRA AS TEXTURAS, AS CORES E OS SABORES DO QUE VOCÊ PÕE NO PRATO. SEU PALADAR E SUA SAÚDE AGRADECEM!

Planeta Sustentável – Patricia Bernal

“Se a maestria de cozinhar fosse um jogo de tabuleiro no qual o vencedor do prato mais saudável seria aquele que fizesse boas escolhas na hora de cozinhá-los, qual seria sua primeira jogada? Fritura, cozimento em água ou ao vapor? Caso a ideia fosse preservar as características naturais dos alimentos como cor, textura e sabor, a terceira opção seria a tacada certeira. “Nesse tipo de preparo o tamanho, a forma e a composição nutricional dos alimentos pouco se alteram, pois não sofrem ganhos ou perdas de água como acontece em outras formas de cocção, como a fritura e a fervura”, diz a nutricionista Ellen Yonobi, da Nutrhouse Alimentos, de Curitiba. “Nos vegetais as cores se tornam mais vivas e o gosto natural é realçado”, afirma a chef Renata Vanzetto, do restaurante Marakuthai, em São Paulo.

Infelizmente, não é tudo que se pode beneficiar com essa forma de preparo. No caso das carnes, aposte apenas nos peixes ou frutos do mar. “Como as fibras desse tipo de carne possuem menos colágeno, elas se rompem mais facilmente, possibilitando um cozimento eficiente”, diz a nutricionista Laura Fantazzini, autora do livro Nutrição e Saúde (ed. Atual).

Outra grande vantagem desse método é a maior preservação dos nutrientes. “Apesar de mais demorado, preparações ao vapor não deixam escapar vitaminas e minerais sensíveis a altas temperaturas ou que são facilmente dissolvidas em água”, afirma Laura. Nessa fuga contra o fogo intenso e a “enxurrada” de água estão o potássio, presente em grande parte das verduras e dos legumes, as vitaminas do complexo B, encontradas em vegetais escuros como espinafre,…” (Leia e comente)

Anúncios

A DAMA DO CORPO PERFEITO

12/08/2009

wok

Paladar – Cíntia Bertolino

“SEM ELA, ALGUNS PRATOS NÃO EXISTIRIAM. A MAIOR VIRTUDE É PERMITIR A COCÇÃO RÁPIDA, QUE PRESERVA OS SABORES. A PANELA WOK NASCEU HÁ 3 MIL ANOS. HOJE, TEM DE ALUMÍNIO, COBRE, INOX. MAS A MELHOR, SEGUNDO OS CHEFS,
AINDA É A DE FERRO”

“Ela não é só uma panela. Longe disso. A wok é parte integrante do cotidiano de mais de um bilhão de pessoas na China, onde é utilizada há pelo menos 3 mil anos. Sem ela, alguns pratos simplesmente não existiriam na consistência e textura ideais. Não é exagero. Suas formas aerodinâmicas são o orgulho de algum “arquiteto de tachos” milenar. Tudo nela tem uma razão de ser: o formato arredondado ajuda a manter o calor, o fundo côncavo não deixa o alimento grudar e as laterais deslizantes dão movimento e mantêm o cozimento perfeito dos ingredientes. Isso sem falar na versatilidade. Ela frita, cozinha no vapor, salteia…” (Leia mais)

O SEGREDO DAS ERVAS

31/07/2009

ervas

Vida Simples – Rafael Tonnon

“Elas podem aguçar novas descobertas no paladar, ressaltar o aroma de pratos e fazer a diferença entre um
cozinheiro  e outro – por isso o tempero de uma receita é muitas vezes guardado a sete chaves…”

“Durante muito tempo as ervas foram utilizadas quase que exclusivamente como medicamento, na preparação de unguentos para a dor e chás para facilitar a digestão ou fortalecer o sistema imunológico. Mas, quando chegaram à cozinha, provocaram uma revolução de sabores. Para os povos da Antiguidade, o louro e o manjericão,…” (Leia mais)

O REI GALANTEADOR QUE ADORAVA CRÊPES

25/06/2009

rei eduardo VII

Paladar – Dias Lopes

“…Eduardo VII (1841-1910) divertiu-se à vontade. Da juventude à maturidade, passou temporadas na França, país que admirava, sobretudo em Paris, frequentando restaurantes, teatros, hipódromos e consolidando a fama de playboy desaprovada pela mãe, a severa rainha Vitória I. Bastante popular no seu país e exterior, ainda se notabilizou pelo mecenato e paixão pelas viagens. Tornou-se um dos personagens da Belle Époque,…”

crepe suzette

“… no Le Café de Paris, em Monte Carlo, atendendo ao pedido do então príncipe de Gales – e o molho pegou fogo acidentalmente. Sem perder a compostura, teria dobrado duas vezes as crêpes e as servido assim ao cliente, que aprovou o resultado. “Como se chama o que me deu?”, indagou o príncipe de Gales. “Foi um doce inventado agora”,… (Leia mais)

Dica Notícias do bem – Receita de Crêpes Suzette