Posts Tagged ‘Reflexão’

OFERECER A OUTRA FACE

01/12/2010

Momento de Reflexão

Um dos conceitos intrigantes de Jesus é Sua proposta de, quando alguém nos bater em uma face, oferecer a outra.

Ao analisarmos literalmente tal passagem contida nos Evangelhos, vemos ser irracional ficar oferecendo a face para que outro, tomado de violência, nos agrida fisicamente.

Conclui-se, pois, que Jesus não estava nos falando do aspecto físico da bofetada, e nem nos recomendando nos colocarmos, indefesos, frente à violência alheia.

É natural que a ofensa a que Jesus se referia era a do aspecto moral, emocional. São as bofetadas que levamos pela agressão verbal do próximo, pelo discurso provocativo do outro ou, ainda, pelo verbo voraz de quem se nos acerca.

Oferecer a outra face, diz-nos, na intimidade, para oferecer outra possibilidade em nossos relacionamentos, outra maneira de nos conduzir em relação ao próximo.

São frequentes as dificuldades que temos ao nos relacionar, por exemplo, com alguém de nosso meio familiar. Às vezes, nossas observações e frases que em qualquer momento parecem tão naturais, com os familiares se transformam em contenda ou dissensões, brigas e altercações.

Nesses momentos é que se faz necessário oferecer a outra face. Se nos surge um relacionamento difícil, seja na família, no trabalho, no ambiente social, não há nada melhor do que nos propormos a modificar a situação.

Experimentemos, nessas oportunidades, abordar de maneira diferente a pessoa, respeitar posicionamentos, entender valores, compreender suas ações.

Ao modificar nosso olhar a respeito das atitudes de quem nos irrita, estaremos oferecendo uma nova face para o relacionamento…” (Leia mais e comente)

Anúncios

DUAS MULHERES – DUAS ABOLIÇÕES?

22/11/2010

QUESTÕES IDEOLÓGICAS

FLC – Socialismo e Liberdade – Lonardo Boff

“É fato notável a ascensão de mulheres, em muitos países do mundo, ao status de chefes de Estado e de governo. Isso revela uma mutação do estado de consciência que se está operando no interior da humanidade. Foi mérito principal da reflexão feminista que já possui mais de um século inaugurar esta transformação. As mulheres começaram a se ver com os próprios olhos e não mais com os olhos dos homens. Descobriram sua identidade, sua diferença e a relação de reciprocidade e não de subordinação frente aos homens. Produziram talvez a crítica mais consistente e radical da cultura, marcada pelo patriarcalismo e pelo androcentrismo.

O patriarcado designa uma forma de organização social centrada no poder exercido pelos homens dominantes, subordinando e hierquizando todos os demais. O androcentrismo se caracteriza por estabelecer como padrão para todos, as formas  de pensamento e de ação características dos homens. Eles são o sol e os demais, como as mulheres ou outras culturas,…” (Leia e comente)

QUERIDOS E AMADOS!

05/10/2010

Lendo um correio eletrônico que meu amigo Odailton me enviou recentemente, parei para refletir sobre as mudanças que o tempo promove em nossas vidas.

Vocês talvez já conheçam esse texto, pois essas mensagens correm pela rede em grande velocidade e se espalham como que entorpecendo nossas caixas postais.

Estou num período de muito trabalho e pouco tempo para o “Blogue”. Sinto quando não consigo postar reportagens que poderiam proporcionar momentos de paz e boa leitura.

Leiam com atenção e boa reflexão. Logo estarei com vocês diariamente.

Obrigado aos amigos e paraquedistas de plantão!

Luiz Aurélio

__________________________________________________

O PARADOXO DO NOSSO TEMPO

Nós bebemos demais, gastamos sem critérios.
Multiplicamos nossos bens, mas reduzimos nossos valores.
Nós amamos raramente, e odiamos freqüentemente.
Aprendemos a sobreviver, mas não a viver.
Adicionamos anos à nossa vida, e não vida aos nossos anos.
Fomos e voltamos à Lua, mas não cruzamos a rua pra encontrar um novo vizinho.

Conquistamos o espaço, mas não o nosso próprio.
Fizemos muitas coisas maiores, mas pouquíssimas melhores.
Limpamos o ar, mas poluímos a alma;
Dominamos o átomo, mas não nosso preconceito;
Escrevemos mais, mas aprendemos menos;
Planejamos mais, mas realizamos menos.

Aprendemos a nos apressar e não, a esperar.
Construímos mais computadores, mas nos comunicamos cada vez menos.

Estamos na era do ‘fast-food’ e da digestão lenta;
Tempo do homem grande de caráter pequeno;
Dos lucros acentuados e relações vazias.

Essa é a era de dois empregos, vários divórcios, casas chiques e lares despedaçados.

Essa é a era das viagens rápidas, fraldas e moral descartáveis. Dos cérebros ocos e das pílulas “mágicas”.

Um momento de muita coisa na vitrine e muito pouco na dispensa.

Uma era que leva essa carta a você, e uma era que te permite dividir essa reflexão ou simplesmente clicar em “delete”.

Lembre-se de passar tempo com as pessoas que ama, pois elas não estarão por aqui para sempre.

Lembre-se dar um abraço carinhoso em seus pais, num amigo, pois não lhe custa um centavo sequer.

Lembre-se de dizer “eu te amo” à sua esposa (o) e às pessoas que ama.

Mas em primeiro lugar, se ame… se ame muito e a Deus sobre todas as coisas.

Um beijo e um abraço curam a dor, quando vêm de lá de dentro.

Por isso, valorize sua família e as pessoas que fazem parte de sua vida.

É POR TUDO ISSO QUE DIGO:
EU TE AMO!

George Carlin

O NOVO É PERIGOSO

05/06/2010

NA MÚSICA, O NOVO PODE SER OCO E SERVIR A QUALQUER PROPÓSITO, INCLUSIVE O DO OPOST

Trip – André Caramuru Aubert –  Fotos Jason Holley / jasonholley.com

“Bobs, Marley e Dylan; Kings, Albert e B.B., Janis Joplin, Buddy Guy, Jimi Hendrix e Caetano; parece escalação de time. Time pequeno, tipo futsal. Meus heróis na música são poucos, e na maior parte do tempo ouço as mesmas coisas. Outro dia, conversando com o Gui, um amigo, que é exatamente o contrário de mim e está totalmente aberto às novidades, senti inveja e admiração. Tanta coisa boa aparece e eu nem percebo. É que o novo não me comove, pelo menos não simplesmente por ser “novo”. Ou melhor: desde uma aula que me marcou, nos tempos da faculdade, eu desconfio dele. Enquanto adjetivo, “novo” é de um enorme vazio, que só existe por oposição a “velho”; e, carente de qualidades intrínsecas, se transforma em elogio automático ao carregar dentro de si, clandestinamente, o valor de “bom”. Não é à toa que o “novo” é uma das palavras mais utilizadas pelos publicitários, que querem convencê-lo, o tempo todo, que os “novos” sabão em pó, geladeira e barbeador são melhores do que os anteriores (afinal, não se esqueça, o “novo” é primo-irmão do “progresso”).

Perigo maior que no shopping center, porém, o “novo” representa na política. Até as revoluções burguesas, ninguém se preocupava com o que era novo. A boa política era a da conservação, em que o rei que assumia mantinha as coisas exatamente como as havia deixado o rei que se fora. A atração pelo “novo”…” (Leia e comente)

BRASÍLIA VAI SEDIAR 12ª JORNADA BRASILEIRA DE QUALIDADE DE VIDA

17/05/2010

CorreioWeb – Admita-se

“Entre os dias 26 e 28 de maio, o Instituto Brasileiro de Qualidade de Vida (IBQV) realizará, em Brasília, a 12ª edição da Jornada Brasileira de Qualidade de Vida. Este ano, o evento terá como tema “Saúde, Qualidade de Vida e Direitos Humanos: Reflexões para a Construção da Cidadania”. O objetivo é estimular a reflexão e a criação de uma consciência sobre qualidade de vida e bem-estar em todos os âmbitos da existência dos indivíduos e da sociedade.

Em 2010, o evento inspira-se no artigo 1º da Declaração Universal dos Direitos Humanos: “Todas as pessoas nascem livres e iguais em dignidade e direitos. São dotadas de razão e consciência e devem agir em relação umas as outras com espírito de fraternidade”.

Junto com o evento, acontece também o 7º Fórum de Qualidade de Vida no Setor Público, cujo tema será “Saúde e Qualidade de Vida nas Organizações Públicas: Políticas para a Sustentabilidade”. Nele, serão discutidas…” (Leia e comente)

TROPA DE ELITE

21/01/2010

QUE TIPO DE POVO QUEREMOS SER?

Época – Eliane Brum

“Em geral, não gosto de voltar ao tema da coluna anterior. Mas os comentários da última merecem uma reflexão. O fascinante da internet é que o texto continua a ser escrito pelos leitores. Quase sempre tenho a sorte de ter leitores de bom nível, que fazem suas críticas com educação, compartilham suas experiências, enriquecem o debate. Vez ou outra, porém, alguns manifestam sua falta de educação, protegidos pelo anonimato. É triste, porque é uma oportunidade perdida de dizer e ouvir algo que nos faça ir além. Mas, mesmo estes leitores pobres de ideias e de espírito nos dizem algo com sua agressividade. Embora possamos ignorá-los, talvez seja importante pensar não no que dizem, já que sua violência busca encobrir a falta de argumentos, mas no que seu comportamento revela sobre o país que construímos.

Para quem não leu a coluna anterior, em “Vizinhos de praia” eu contava minha má experiência com a vizinhança, ao visitar minha família no final do ano. Carros com porta-malas aberto e som ensurdecedor a qualquer hora do dia e da noite,…” (Leia e comente)

DEPOIS DAS FÉRIAS – FELIZ 2010

17/01/2010

Caros amigos e leitores do blog, já não via a hora de voltar a postar matérias para vocês.
Estive durante esse período recarregando as baterias para 2010, fiquei mais próximo da minha família e isso faz um bem incomensurável em nossas vidas. Esposa, filhos e muitas expectativas para esse novo ano.
Deixo para os amigos uma mensagem que reflete o meu sentimento e espero que essa reflexão nos conscientize da necessidade incondicional em fazer e divulgar o bem.

Do fundo do coração, Luiz Aurélio

O grande barato da vida é olhar pra trás e sentir orgulho da sua história.

O grande lance é viver cada momento como se a receita da felicidade fosse o AQUI e AGORA!

Claro que a vida prega peças. É lógico que, por vezes, o bolo sola, o pneu fura, chove demais.

Mas… Pensa só: tem graça viver sem rir de gargalhar pelo menos uma vez ao dia?

Tem sentido ficar chateado durante o dia todo por causa de uma discussão na ida pro trabalho?

Tá certo, eu sei, Polyanna é personagem de ficção, hiena come porcaria e ri, eu sei..

Não quero ser cego, burro ou dissimulado. Quero viver bem. 2009 foi um ano cheio. Foi cheio de coisas boas e realizações, mas também cheio de problemas e desilusões… Normal.. Às vezes se espera demais das pessoas… Normal.. A grana que não veio, o amigo que decepcionou, o amor que acabou… Normal.

2010 não vai ser diferente. Muda o século, o milênio muda, mas o homem é cheio de imperfeições, a natureza tem sua personalidade que nem sempre é a que a gente deseja,mas e aí? Fazer o que? Acabar com o seu dia? Com seu bom humor? Com sua esperança?

O que eu desejo pra todos nós é sabedoria, é que todos nós saibamos transformar tudo em uma boa experiência! Que todos consigamos perdoar o desconhecido, o mal educado. Ele passou na sua vida. Não pode ser responsável por um dia ruim.

Entender o amigo que não merece nossa melhor parte.

Se ele decepcionou, passa pra categoria 3, a dos amigos. Ou muda de classe, vira colega. Além do mais, a gente, provavelmente você também já decepcionou alguém.

O nosso desejo não se realizou? Beleza, não tava na hora, não deveria ser a melhor coisa pra esse momento (me lembro sempre de uma frase que adoro: “Cuidado com seus desejos, eles podem se tornar realidade”). Chorar de dor, de solidão, de tristeza, faz parte do ser humano. Não adianta lutar contra isso..

Mas se a gente se entende e permite olhar o outro e o mundo com generosidade, as coisas ficam diferentes…

Desejo pra todo mundo esse olhar especial…

2010 pode ser um ano especial se nosso olhar for diferente.

Pode ser muito legal, se entendermos nossas fragilidades e egoísmos, e dermos a volta nisso. Somos fracos, mas podemos melhorar. Somos egoístas, mas podemos entender o outro.

2010 pode ser o bicho, o máximo, maravilhoso, lindo, maneiro, especial… Pode ser puro orgulho.

Depende de mim! De você!

Pode ser. E que seja!!!

Que a virada do ano não seja somente uma data, mas um momento para repensar tudo o que fizemos e que desejamos, afinal sonhos e desejos podem se tornar realidade somente se fizermos jus e acreditarmos neles!

Feliz Ano Novo!

Feliz 2010!

Feliz Olhar Especial!

EM BUSCA DE PRESENÇA E PARTICIPAÇÃO

10/11/2009

jovens  negros

“GERAÇÃO DE DESCOBERTAS, DE AVENTURAS, A JUVENTUDE DE HOJE QUER MUITO MAIS. NÃO SE CONTENTA EM ILUSTRAR APENAS AS PÁGINAS DOS JORNAIS COM DADOS ESTATÍSTICOS ESCABROSOS. PELO CONTRÁRIO. MUITA COISA MUDOU NA AUTOESTIMA DA JUVENTUDE NEGRA DE TEMPOS PRA CÁ”

Raça Brasil – Célia R. da Silva

“Motivos para essa mudança não faltam: maior mobilização da sociedade civil, da luta dos movimentos sociais negros, do surgimento de uma mídia étnica que ajuda na valorização da identidade negra e de investimentos do Estado.

Para o pesquisador Rodrigo Denílson, mestre em Sociologia pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), a multiplicação de universidades públicas que passaram a adotar políticas de reserva de vagas para negros e estudantes de escolas públicas, a criação do Programa Universidade para Todos (ProUni), além das mudanças recentes nas formas de representar os negros brasileiros, criaram possibilidades para os jovens negros sonharem e buscarem outros lugares, recusando assim a máxima do “ponha-se no seu lugar”.

“Eles querem e sabem que podem estar presentes nos espaços. As políticas de ação afirmativa, como as cotas, tornaram possíveis sonhos antes quase inimagináveis”, afirma Rodrigo, que exemplifica tais sonhos como a formação superior e a entrada no mercado de trabalho qualificado. “A reflexão sobre o pertencimento identitário étnico-racial possibilita a multiplicidade de vivência na escola…” (Leia e comente)

O HOMEM DO NOSSO TEMPO

19/09/2009

mcabelo vermelho

Vi o MundoOtaciel de Oliveira Melo

“Duas concepções do mundo estão sintetizadas em duas frases aparentemente contraditórias, mas de fato percebidas como complementares pelo homem. A primeira é atribuída a Assis Chateaubriand, O Rei do Brasil em sua época: “sei que vou morrer amanhã, mas ajo como se não fosse morrer nunca”. A segunda, o contraponto, é uma imposição do tempo vindouro: “você vai morrer amanhã e deve agir considerando esta certeza”. Mais do que duas frases de efeito, elas revelam concepções e práticas de vida voltadas para objetivos apenas ilusoriamente distintos.

A primeira embala os sonhos do homem pretensamente eterno, do capitalista que até o último suspiro pensa numa jogada mirabolante com o objetivo de acumular e morrer como o homem mais rico do mundo. A ética não é o forte…” (Leia mais e comente a matéria)

A UNANIMIDADE E OS ÍNDICES DE INTELIGÊNCIA

22/05/2009

No site Agência Carta Maior, o jornalista e artista plástico Enio Squeff, faz uma reflexão sobre o tema. (LA)

squeff

“Não foi à toa que Vinícios de Moraes disse de Gustavo Corção que “não era um ser humano”. Talvez tivesse sido injusto: só os homens são capazes de se fazerem cruéis. E pela certeza de que, assim sendo, estão bem com Deus. O Todo Poderoso os justificaria em seus ódios.” (Leia mais)