Posts Tagged ‘Violência’

A MAJOR QUE PROTEGE 629 MULHERES AMEAÇADAS POR HOMENS NA BAHIA

03/11/2016

_92234794_lorenavinturini-31102016-165

BBC Brasil por Victor Uchôa

O CELULAR DE TRABALHO DE DENICE SANTIAGO TOCOU EM PLENA TARDE DE DOMINGO EM SALVADOR. DO OUTRO LADO DA LINHA, UMA MULHER DIZENDO QUE O EX-MARIDO, PROIBIDO PELA JUSTIÇA DE SE APROXIMAR DELA, ESTAVA A CAMINHO DE SUA CASA.

“Nessas horas não posso simplesmente dizer que estou de folga. Tenho que resolver”, diz. A necessidade de solução imediata se explica: na Bahia, 629 mulheres vítimas de violência doméstica estão diretamente sob os cuidados de Denice.

Fardada ou não, ela é a major Denice, de 45 anos, comandante da Ronda Maria da Penha (RMP), unidade da Polícia Militar baiana criada em março de 2015 para acompanhar mulheres sob medida protetiva judicial – brasileiras que enfrentam o machismo e a brutalidade de companheiros, pais, irmãos e… Continue lendo

Anúncios

IMPOSIÇÃO DE UM DESEJO ÚNICO

11/11/2010

O QUE É A PEDOFILIA? DOENÇA? FALHA DE CARÁTER? CRIME? QUAL O PERFIL DO PEDÓFILO? COMO SE FAZ O DIAGNÓSTICO? É POSSÍVEL CURÁ-LA? O QUE A CIÊNCIA TEM A DIZER SOBRE ISSO? O ARTIGO DE CAPA DA CH 275 DISCUTE ESSE TEMA QUE
MOBILIZA CADA VEZ MAIS A SOCIEDADE.

Ciência Hoje – Fred Furtado

“Nas últimas décadas, a atração sexual patológica por crianças e pré-adolescentes ganhou nome e deixou de ser um assunto reservado das famílias para se tornar um problema social e político que afeta desde questões médicas até criminais.

Chamada pedofilia, um tipo de perversão sexual para a psicanálise e psiquiatria, essa doença passou a representar muito mais que uma condição médica e hoje é um termo que abrange várias manifestações de violência e polui a discussão sobre o tema pela forte carga emocional que o cerca.

A quarta edição do Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais (DSM IV-TR, na sigla em inglês), publicação da Associação Americana de Psiquiatria (APA), define a pedofilia como uma parafilia, um tipo de transtorno em que o prazer sexual não é obtido com a cópula, mas por meio de outra atividade ou objeto de desejo sexual…” (Leia e comente)

AUTORITARISMO RESISTIU AO FIM DA DITADURA

13/05/2010

FILÓSOFO REVELA COMO O REGIME MILITAR DEIXOU VESTÍGIOS NA SOCIEDADE BRASILEIRA E PERMITIU A PERMANÊNCIA
DE VELHOS DESMANDOS

História Viva Adriana Marcolini

“A ditadura militar no Brasil foi totalmente erradicada ou fincou raízes e ainda lança sua sombra sobre a vida nacional? A violência policial de hoje tem origem naquele período? Estas e outras perguntas são analisadas em “O que resta da ditadura” coletânea de ensaios organizada pelos pesquisadores e professores Edson Teles e Vladimir Safatle, recém-publicada pela Boitempo Editorial. O livro é fruto de um seminário realizado na Universidade de São Paulo (USP) em 2008. Além das contribuições próprias dos organizadores, reúne os textos dos demais participantes do encontro, como Glenda Mezarobba, Janaína de Almeida Teles e Flávia Piovesan, entre outros. Leia a seguir a entrevista com o doutor em filosofia política Edson Teles.

HV – Muitos afirmam que o Brasil não teve uma ditadura clássica depois do golpe de 1964, mas sim uma “ditadura branda”, em comparação à da Argentina e do Chile. Qual sua opinião?

Edson Teles: As ditaduras tiveram em comum a política de extermínio de opositores e de incremento da presença política e econômica das velhas oligarquias do latifúndio e da indústria, alimentando ainda o surgimento da oligarquia financeira. A diferença é que os militares brasileiros…” (Leia e comente)

PAIS TÓXICOS

07/03/2010

LIVRO DE JUÍZA INGLESA HUMILHADA DESDE A INFÂNCIA PELA MÃE JOGA LUZ SOBRE PAIS QUE AGRIDEM FÍSICA E PSICOLOGICAMENTE OS FILHOS. AS SEQUELAS DOS MAUS-TRATOS PODEM SER IRREVERSÍVEIS

Isto É – Suzane G. Frutuoso

“Em 1966, a inglesa Constance Briscoe, então com 9 anos, chegou da escola exultante carregando um envelope marrom, que se apressou a entregar para a mãe, Carmem. Dentro dele, fotos que a menina havia tirado na escola. Ao olhar as imagens, Carmem repetia: “Jesus amado, eu que pus isso no mundo? Deus, como ela pode ser tão feia? Feia, feia… Você quer que eu compre essas fotos?”, perguntava à filha. Foi apenas uma das milhares de humilhações que a criança sofreu na infância. Ofensas como “vagabunda safada” foram constantes. Ela também era espancada por fazer xixi na cama, uma enurese que se manifestava justamente por causa do medo da violência materna. Socos na cabeça e no peito eram desferidos contra Constance e seus mamilos eram beliscados com força, sempre por motivos banais (ou sem motivo). A ponto de, aos 11 anos, ela tentar o suicídio bebendo água sanitária. Esse retrato de terror está no livro “Feia – A História Real de uma Infância sem Amor” (Ed. Bertrand), escrito por Constance, hoje uma renomada juíza. A obra, que já vendeu meio milhão de cópias em dezenas de países e tem tradução brasileira, é um exemplo de como aqueles que deveriam amar acima de tudo podem ser os algozes dos próprios filhos…” (Leia e comente)

UM CATÁLOGO DA VIOLÊNCIA NO SÉCULO XX

26/11/2009

“SITE ORGANIZADO POR CIENTISTA POLÍTICO FRANCÊS ABRIGA BANCO DE DADOS SOBRE OS GRANDES MASSACRES
DOS ÚLTIMOS CEM ANOS”

História Viva – Bruno Fiuza

“O francês Jacques Sémelin, professor do Instituto de Estudos Políticos de Paris, passou os últimos 20 anos pesquisando a história dos grandes massacres do século XX. Em 2007, essa extensa investigação deu origem ao livro Purificar e destruir – Usos políticos dos massacres e dos genocídios, um estudo comparativo da violência em massa durante o Holocausto, em Ruanda e na Bósnia que foi publicado este ano no Brasil pela editora Difel. Sémelin, no entanto, não se contentou em transformar seu estudo em livro, e agora trabalha em um projeto inédito: a organização de uma enciclopédia virtual da violência em massa no século XX.

Depois de quatro anos de gestação, o site do projeto foi lançado no ano passado. Reunindo material produzido por pesquisadores renomados, a Enciclopédia online da violência em massa pretende oferecer gratuitamente a qualquer usuário da internet um extenso banco de dados com informações sobre genocídios e massacres perpetrados no planeta ao longo do mais violento século da história. O site reúne biografias dos responsáveis…” (Leia e comente)

EVENTOS PÚBLICOS TÊM SEU BRILHO OFUSCADO PELO USO ABUSIVO DO ÁLCOOL

23/06/2009

confusao

Uniad – Antonio Carlos Egypto

“…acidentes, brigas, violência nos estádios, violência no trânsito e, em toda a parte, assassinatos. Eventos públicos importantes para a cultura e a cidadania têm seu brilho ofuscado, em alguns momentos, por ações descontroladas. Que elemento comum está presente em muitos desses fatos? O consumo excessivo de bebidas alcoólicas,…” (Leia mais)