Archive for maio \23\UTC 2012

LEITOR RECRIA A CARREIRA DE AYRTON SENNA

23/05/2012

COMO SERIA SE SENNA TIVESSE SOBREVIVIDO AO ACIDENTE? LEITOR CRIA O QUE SE SEGUIU APÓS O GP DE ÍMOLA, EM 1994

Alfa – Fernando Cruz

“Ayrton Senna sai em frente em Tamburello e imobiliza-se na pista. Após alguns instantes de temor eis que o piloto se mexe e atira o volante partido de forma violenta, saíndo em fúria de dentro do seu Williams destroçado. Meio atordoado, já nem pensa mais no campeonato e só consegue sentir-se de regresso à vida, depois de ter visto a morte a aproximar-se a cerca de 250 Km./h. Não fala com ninguém e abandona o circuito quase sem dar explicações na boxe da Williams. O seu primeiro pensamento é abandonar de imediato a competição, não deixando de pensar na conversa que tivera na véspera com o Professor Syd Watkins, na sequência do trágico acidente de Roland Ratzenberger.

Só na sua casa do Algarve, junto da namorada, encontra algum conforto e consegue finalmente repousar. Mais uns dias e está recuperado, pronto para uma luta que agora ficou mais difícil do que nunca, pois está já a 30 pontos do alemão. Duas coisas o preocupam: em primeiro lugar há que melhorar a segurança…” (Leia e comente)

Anúncios

AIDS: O MAL DA DILUIÇÃO

11/05/2012

DEPOIS DE VIRAR UMA DOENÇA CRÔNICA TRATÁVEL, A AIDS DEIXOU DE SER VISTA COMO UMA SENTENÇA DE MORTE. MUITOS JOVENS RELAXARAM AS PRECAUÇÕES CONTRA A CONTAMINAÇÃO PELO HIV. MAS O TRATAMENTO CAUSA DUROS EFEITOS
COLATERAIS, E OS PORTADORES DO VÍRUS
CONTINUAM A SER DISCRIMINADOS

Revista Planeta –  Milton Correia Júnior

“Desde que o uso combinado de medicações antirretrovirais foi utilizado com sucesso no tratamento da Aids, a partir de 1996, ela se transformou numa doença crônica controlada. Hoje, quem toma o coquetel tem a perspectiva de uma longa vida pela frente. Graças à evolução, a Aids deixou de ser motivo de grande preocupação especialmente entre os jovens, que tendem a minimizar as consequências de se tornarem soropositivos para o HIV. Muitos nem sempre usam preservativos durante o namoro, festas e baladas, e acabam se infectando.

O risco de banalização da doença acabou diluindo o medo da contaminação. Por não ser curável, mas tratável, a Aids vem sendo comparada a males como diabetes e hipertensão. Bastaria tomar os medicamentos e levar uma vida…” (Leia e comente)

INTOLERÂNCIA AO GLÚTEN: MITO OU VERDADE?

05/05/2012

ELE VEM SENDO COTADO COMO PRINCIPAL RESPONSÁVEL POR TODO TIPO DE TORMENTO – DOS QUILOS EXTRAS À ENXAQUECA. SÓ QUE BOA PARTE DESSA HISTÓRIA É UMA BELA FARSA

Saúde é Vital – Thaís Manarini

“O universo da nutrição tende ao maniqueísmo. Enquanto alguns alimentos são alçados à fama em um piscar de olhos – como é o caso do óleo de coco, assunto da nossa reportagem na página 28 -, outros são mandados ao limbo em um zás-trás. Às vezes, vale registrar, sem motivo cientificamente correto. É o caso do glúten, uma proteína presente em todos os itens que levam trigo, centeio, aveia, malte e cevada.

A substância só não é tolerada por uma parcela da população que tem a doença celíaca. Estamos falando de quase 1 milhão de brasileiros. E, para atendê-los – que bom -, a indústria aumentou a oferta de produtos isentos dessa proteína. Ocorre que boa parte dos outros 194 milhões de consumidores do país passaram a imaginar que, se havia comida destacando o “sem glúten” no rótulo, isso seria indicador de que o tal glúten faria mal. Interpretação errônea no caso. E há sempre quem se aproveite da situação. Exemplo: prometendo que a barriga irá secar se você tirar o bendito ingrediente da mesa. “É um grande mito”, dispara a…” (Leia e comente)

SEXO: MELHOR DO QUE VOCÊ IMAGINA

04/05/2012

ACREDITAMOS QUE VOCÊ NÃO PRECISA SER CONVENCIDO DE QUE SEXO É BOM, MAS PODE SER MELHOR DO QUE VOCÊ IMAGINA

Menshealth

“Acabar com doenças, dormir melhor, gozar e se sentir o rei do sexo oral! Com esses motivos você vai curtir (ainda mais) fazer sexo…

Sexo contra resfriado

Que vacina, que nada. Pesquisadores da Universidade Wilkes (EUA) descobriram que transar pelo menos duas vezes por semana eleva em 20% os níveis de imunoglobina A, anticorpo que protege contra resfriados e outras infecções por vírus e bactérias.

Para ficar melhor ainda. “A chave para turbinar esses anticorpos naturais é intensidade e prazer, portanto mexa-se e experimente o máximo de posições possível”, sugere Paula Hall, terapeuta sexual da Relate, instituição britânica que oferece consultoria em relacionamentos. “Tente a posição da tesoura: você fica de pé, ela deitada na beirada da cama de frente para você e com os tornozelos nos seus ombros. Durante a penetração, abra e feche as pernas dela (como se fossem uma tesoura), cruzando-as quanto fechadas a fim de segurar seu pênis dentro dela.” Se a doutora falou…

Durma feito criança

A química pós-sexo tem o poder de uma canção de ninar. “Durante o orgasmo, o corpo produz ocitocina, hormônio que induz ao sono”, observa o ginecologista e terapeuta sexual Amaury Mendes Júnior, do Rio de Janeiro. “Não há dúvida de que o sexo ajuda a combater a insônia” … (Leia e comente)

A JUKEBOX VOLTOU A SER O MÁXIMO

04/05/2012

AS MÁQUINAS DE MÚSICA QUE FAZEM SUCESSO NOS
BARES TÊM CARA DE TABLET

Época – Danilo Venticinque

“No início de 2009, depois de uma bem-sucedida carreira como executivo de gravadoras como Warner e BMG, o sul-africano Charles Goldstuck desistiu da combalida indústria fonográfica. Ao contrário de muitos de seus colegas, que trocaram as cadeiras nos escritórios de gravadoras por posições de destaque na saudável indústria de shows ou pela aposentadoria, Goldstuck tomou uma decisão aparentemente contraditória. Deixou de trabalhar com discos para embarcar no comando da empresa americana TouchTunes, num negócio ainda mais decadente: a venda de jukeboxes, máquinas instaladas em lugares públicos, geralmente bares, que tocam músicas em troca de moedas.

As chances de sucesso eram remotas. As jukeboxes pareciam ter esgotado seus dias de glória havia várias décadas. Entre os anos 1920 e 1980, quando eram sinônimo de modernidade e estavam presentes nos bares mais badalados do mundo, elas invadiram a cultura popular. Foram atingidas por tiros e pontapés em filmes de ação e inspiraram videoclipes de sucesso como Faith, de George Michael. Num momento memorável do drama Quem tem medo de Virginia Woolf? (1966), a personagem Martha, interpretada pela atriz americana Elizabeth Taylor, dança na frente de uma jukebox para provocar o marido, até que ele, irritado, puxa o fio para desligar o aparelho. Hoje em dia, seria difícil encontrar uma jukebox…” (Leia e comente)

ESPÍRITOS TANGÍVEIS

01/05/2012

NA ÁFRICA, COM SUA DIÁSPORA, A MÁSCARA TRANSFORMA OS MORTAIS EM DEUSES E EXIBE UMA POSIÇÃO POLÍTICA

Nathional Geographic – Cathy Newman

“No âmbito do mundo dos espíritos, a máscara é mais do que uma mera fachada. É totalmente transformadora. O homem que usa a máscara – e quase sempre se trata de um homem – pode falar com voz diferente, mover-se de maneira diferente, comportar-se de modo diferente –porque é um ser diferente. A máscara é vestida. O limite entre realidade e ilusão, deus e homem, vida e morte, fica indefinido. O homem mascarado não está representando um papel. Ele se transforma no papel.

A máscara é a peça central de uma fantasia, geralmente com apetrechos, que é usada durante uma cerimônia ritualística apresentada perante a comunidade. Algumas delas são diversão – um desfile, por exemplo, ou uma dança que reforça a identidade cultural da comunidade. Outras permanecem arraigadas em rituais religiosos ou sociais. Nessas performances, a pessoa mascarada pode servir com uma espécie de policial da moral: dá instruções, castiga, mantém e restaura a ordem ou comanda…” (Leia e comente)